22 junho 2006

Voos quase cheios tornam voar para o Pico mais caro.

Como sabem todos os residentes nos Açores tem direito à tarifa de residente quando viajam de avião, sendo essa tarifa fixa por lei, mas o mesmo não acontece com as tarifas aplicadas a todos os outros passageiros, e normalmente as companhias aéreas vendem os primeiros lugares mais barato do que os últimos, quando já falta pouco para encher o avião, de modo a maximizarem os seus lucros, daí a vantagem de se reservar com antecedência.
Acontece que mais uma vez o Pico é penalizado por este facto, por ter poucos voos, senão vejam a experiência que fiz no site da TAP.
Escolhi as duas últimas de semanas de Julho para fazer um teste e saber quanto me custaria um voo Lisboa Pico se não fosse residente, e nessas duas semanas tenho disponíveis para o Pico voos nos dias18, 20, 25 e 27, ou seja há também um voo na Quinta-feira como já foi anunciado.
Pelo percurso Lisboa Pico teria de pagar, não incluindo taxas, 220 euros no dia 18, 134 euros no dia 20 e 176 euros nos dias 25 e 27. Para o regresso pagaria 176 euros nos dias 18 e 20, 220 euros no dia 25 e 92 euros no dia 27.
Isto é assim porque como são poucos voos já estão quase cheios, e é normal que se venda primeiro os lugares disponiveis para as tarifas mais baixas, no caso dos dias a 220 euros está-se a pagar mesmo classe executiva, pois já só existem lugares nessa classe.
Mas se analisarmos os voos na mesma semana para a Horta vemos muitos voos ainda com tarifas de 92 e até 77 euros disponíveis, e nos mesmos dias em que há voo para o Pico estão disponíveis para o voo Lisboa Horta tarifas de 111 euros no dia 18, e 92 euros nos dias 20, 25 e 27, e para o voo Horta Lisboa estão disponíveis tarifas de 77 euros nos dias 18, 20 e 25 e de 92 euros no dia 27. Isto é possível porque com mais voos há ainda mais lugares por reservar, e portanto tarifas mais baixas.
Coloque-se agora na pele de um turista que até quer voar para o Pico. Depois de verificar as tarifas claro que voaria pela Horta, pois nos dias com voo pelo Pico sai muito mais barato voar pela Horta. O dinheiro que poupa dá de resto para o táxi e viagem de barco!
E com as coisas desta maneira temos que esperar por mais passageiros para termos mais voos? Os voos são necessários já, nem que seja um desvio de um dos dois diários da Horta que faça um LIS-PIX-HOR-LIS. Claro que de Inverno as coisas são diferentes, mas os 5 voos extra que a TAP vai realizar para o Pico durante todo o verão são manifestamente poucos.

4 comentários:

rapaz dos avioes disse...

Claro que os voos para o Pico têm de ser mais caros. Essa rota está a dar pouco lucro à companhia. E então Lisboa-Pico-Horta-Lisboa mais prejuizo daria...

Rui Medeiros disse...

Não percebeu o que quero dizer, os voos quando são vendidos são divididos em muitas classes, mesmo que a maior parte dos passageiros acabe por voar na mesma cabine, existem preços diferentes, que correspondem a restrições diferentes na reserva, etc.
Acontece que, como é normal, os lugares mais baratos vendem-se primeiro, e portanto para as datas que referi já só existem lugares nas classes mais caras para o Pico. O preço das diferentes classes é igual nos voos para o Pico e Horta, e os passageiros residentes nos Açores não se tem de preocupar com estas diferenças, pk ao abrigo da lei estão protegidos com uma tarifa fixa, a de residente.
Espero tê-lo esclarecido.

Rui Medeiros disse...

Já agora, o Secretário Regional da Economia disse que o tráfego para o pico tem superado as espectativas, gostava assim de saber onde posso ver que estes voos estão a dar prejuizo.

rapaz dos avioes disse...

É o desentendimento entre o Governo e a TAP, mas afinal quem sabe? A TAP ou o nosso "economista"?