01 setembro 2005

O tamanho importa

Eu acho que já toda a gente sabe que na minha opinião a pista do Pico ficou pequena, mas tenho mais uma oportunidade para o demonstrar, e não a vou deixar passar.
Mas antes de a expor também quero deixar claro que isto não faz parte da tradicional ( e sem sentido) guerra Pico-Faial, afinal a pista do Faial também é pequena para os aviões que serve. Falo apenas no caso do Pico por ter sido alvo de obras recentes, e quando se fazem obras a ideia seria fazer uma coisa bem feita, e que sirva plenamente os propósitos para a qual foi construída, infelizmente coisa rara em Portugal.

A pista de Bragança recebe 2 voos diários de Lisboa via Vila Real, operados em Dornier 228, e foi recentemente ampliada com o intuito de puder receber outros voos regionais operados por aviões com capacidades superiores, na ordem dos 70 passageiros, ou seja comparáveis aos "nossos" ATP. Não foi com surpresa que vi as medidas da nova pista, 1655 metros. Com esta dimensão, apesar do aeroporto se situar a uma altitude próxima dos 700 metros, a pista não será factor limitante ao peso que os aviões do tipo ATP poderão transportar a partir de Bragança. Ou seja, temos uma pista bem dimensionada para o tipo de aviões que se espera receber.
Ora a pista do Pico ficou com 1745 metros, sim senhor bem dimensionada para aviões até 70 passageiros, mas... é verdade, a pista foi feita com o propósito de receber A320... E se formos rigorosos, só se podem utilizar 1655 metros para descolar da pista 09, e onde é que já vi estas medidas, ah, são as dimensões da pista feita para aviões regionais de Bragança. Pois é, temos uma boa pista... para os aviões da SATA Air Açores, para um A320 está curta, alías isso vem escrito nos manuais da TAP. Vão ao Pico? Atenção, é uma operação em pista curta, só lá podem aterrar os comandantes, etc, etc...
Também há quem possa argumentar que se formos a ver bem a TAP opera há já muitos anos na Horta, que conta com uma pista de dimensões muito semelhantes às do Pico, e por isso não devia haver problemas. É verdade, mas também é verdade que tal como no Pico existem procedimentos especiais para lá se puder operar, a pista é famosa entre pilotos pelas dificuldades criadas pela conjução das suas dimensões com a meteorologia típica do Açores, os aviões não podem descolar com a sua carga máxima, e a sua ampliação já foi também estudada, por isso digo mais uma vez, as pistas do Pico e Horta são curtas para o tipo de aeronaves que servem.

Sem comentários: