19 novembro 2010

Continua mais caro voar pelo Pico

Estava a ver uns voos do Pico para Lisboa em Janeiro, utilizando a pesquisa disponível no site da SATA para datas flexíveis e foi com algum espanto, inicial, que reparei que o dia do voo directo é precisamente o dia em que o bilhete sai mais caro. E não estamos a falar em 2 ou três euros, voar no sábado custa 260 euros e noutro qualquer dia da semana as tarifas não ultrapassam os 170 euros, chegando o bilhete a custar 155 euros.
Mas as coisas ainda ficam mais interessantes! Se voarmos no sábado do Faial para Lisboa, ainda existem tarifas de 157 euros disponíveis e nem há voo directo nesse dia!
Isto acontece porque com apenas um voo semanal era de esperar que os bilhetes das tarifas promocionais se esgotem rapidamente. Mas não deixa de ser caricato.
E depois vem dizer que não há mercado? Pudera, posso ser muito ferranho, mas com preços destes não posso negar que ir pelo Faial se torna muito apelativo. Ninguém no seu perfeito juízo paga mais 100 euros com outras opções a 1 hora de distância.
Serve isto para reforçar que 1 voo semanal não nos serve. Troquem de aviões para mais pequenos, deixem mesmo de fazer o directo desde que nos garantam boas ligações… Seja o que for. Não nos deixem eternamente com este único favor obrigado porque tem de haver maneira de se servir melhor os interesses da companhia e dos Picarotos.

15 comentários:

Anónimo disse...

Continua e vai continuar mais caro voar pelo Pico, porque o que conta são os antigos distritos:S.Miguel, Terceira e Horta, pois o resto do Arquipélago é paisagem.
Sempre que tiver de fazer alguma viagem, escolherei sempre os melhores preços e deixar os bairrismos para traz das costas, porque não passamos da cepa torta.
Continuaremos sempre à espera da Ilha do Futuro.

Anónimo disse...

é nisso e em tudo, façam uma simulação no tão publicitado no continente site www.vooincluido.com

artur xavier disse...

Já bota fedor estar sempre a mexer na mesma merda. Desculpem-me a linguagem mas é o que, neste momento, apetece deitar cá para fora. Tem razão o Medeiros, quando diz que é melhor acabarem com este mísero voo do sábado. Não teria o Governo Regional uma palavra a dizer?! Acha, o Governo, que somos todos uns parvos?! Eu sempre pensei que a Autonomia iria servir mais uns que os outros. A prova está à vista, e não é só na política de transportes. É em muitos outros sectores. Enquanto houverem filhos e enteados, não vamos a lado nenhum. Haja pachorra!

Duarte Viveiros disse...

Pergunto-me se a TAP ou a SATA tivessem na sua Frota E 170 ou E 175 da Embraer não serviriam melhor rotas de menor trafego, aumentando o numero de frequencias semanais, a Opção da LOT na Polónia em relação a este tipo de avião tem sido muito acertada, Ora se em Portugal vamos ter inclusivé investimentos da EMBRAER sendo o Brasil um nosso aliado e estas empresas (SATA e TAP) controladas por dinheiros Publicos não seria quase que uma obrigação tendo rotas que podem ser bem servidas por este tipo de avião utilizá-lo??

Alvim disse...

Quando brevemente a TAP for privatizada até sem esse ficam! Anda uma pessoa a pagar balúrdios na TAP, às vezes nem consegue lugar, e anda um avião vazio a voar para o Pico...só em Portugal.

PAI disse...

Mestre Medeiros,pode informar se o Embraer tem alguma penalização em S. Jorge?
Parece-me que a melhor solução é o Embraer fazer Lisboa/S.Jorge/Pico, abastecer no Pico e seguir para Lisboa. Não esquecer que juntos somos 25.000 e temos os mesmos direitos que os Picarotos, com a desvantagem de não podermos utilizar o Aeroporto da Horta.

Marcus disse...

Hmmm... It smells of corruption.
However, I used to think that it was bad for Pico if it is difficult for people to get here but now I am not so sure...
Yes it is an inconvenience going via Horta (especially if Lisbon is only half the journey to elsewhere) but if you look at all the Islands, the ones that are difficult to reach are much nicer, with lower crime and nicer people.
For example:
1)If there is not a sense of isolation, the commmunity spirit is lost.
2)I quite like visiting the facilities provided for tourists... because there are no tourists there!
3)Those in the parasitic professions, like tax collectors or Government regulators see it as an insignificant backwater.

So let the others have their illusion, because they pay for it in other ways. There is an advantage to isolation that you do not notice until it is lost.

do Malho disse...

Mas vocês tão a se esquecer que não podemos ter mais voos por semana por causa do combustível...

E quando houver combustível (2050 talvez) será por causa do ILS...

E quando houver ILS (para os nossos netos) há de ser porque a aerogare não está pintada da cor correcta ou outra parvoíce que lhes lembre na altura.

Com números tão claros que qualquer um percebe, tem que haver algum enguiço ou má vontade contra a nossa ilha... Chamemos o Professor Bambo a ver o que dá...

Rui Medeiros disse...

A Embraer publicita 1644 metros necessários para a descolagem do 170 no peso máximo à descolagem, num dia standard (temperatura 15 ºC) ao nível do mar. Para aterrar, nas mesmas condições, mas com o peso máximo à aterragem, a distância necessária são 1274 metros.
Num voo curto um Embraer 170 poderá sair de S. Jorge com o payload máximo.
Que S. Jorge está pior que o Pico, uma vez que não é viável a utilização do aeroporto do Faial, de uma forma regular, dada as más ligações marítimas, é bem verdade.

Uma nota para os que continuam a insistir que não há passageiros para o Pico, no meio de todas as contrariedades que encontram quem quer voar pelo Pico, a média de passageiros por voo nos meses de Julho, Agosto e Setembro foi de 115 passageiros, o que se traduz numa ocupação de cerca de 73% considerando a capacidade dos A320 da TAP.
Utilizando-se, por exemplo, um avião de 78 lugares, poder-se-ia duplicar os voos mantendo-se, ou mesmo aumentando esta taxa de ocupação, uma vez que as 4 frequências semanais que daí resultariam, ainda potenciariam um maior crescimento da rota. Esta taxa compara com os 62% que a Embraer diz serem necessários para se atingir o Break-even no 170.
Quero com isto realçar que voar para o Pico de Lisboa não é o bicho-de-sete-cabeças que alguns apregoam. Claro que está fora de questão uma companhia reorganizar a sua frota só por causa de uma rota, mas podemos sonhar, e a PGA até já terá considerado este tipo para a sua frota…

artur xavier disse...

Agora, muito a sério: Vocês leram o comentário do(a) Alvim? Perceberam alguma coisa?

Duarte Viveiros disse...

Bem Obrigado Rui é o Primeiro Açoreano que consegue ser objectivo e realista quando emito a opinião de que a solução para as ilhas do triangulo açoreano ganharem acessibilidade e turismo está numa coisa simples e que já existe Chama-se Embraer E 170 ou E 175 como queiram ...
Eu se fosse politico e ou governante se tivesse que estabelecer pensamentos a curto médio e longo prazo diria que aí está uma coisa que temos que fazer acontecer, as bases já estão a chegar as condiçoes aeroportuárias ja existem, entao vamos deixar-nos de populismos e rivalidades entre ilhas e vamos fazer duma vez por todas é so uma questão de rentabilizar recentes investimentos trata-se dum investimento plenamente justificado ainda mais perfeitamente viável, viabilidade que poderá ser ainda mais forte se cooperarem as duas companhias aereas de capitais publicos neste país... Até digo mais para esses dois "senhores" esse investimento são tostões e atenção são mesmo investimentos não se tratam so de aumento de custos e subsidio dependência.

Anónimo disse...

Ainda há poucos dias viajei pelo Pico (sou do Faial) e o A320 tinha meia duzia de passageiros do Faial, uma dúzia do Pico e o restante eram passageiros para a terceira. E o avião não estava cheio. Fica só aqui este apontamento para quem quiser reflectir.Ah, já agora resta dizer que para embarcar no Pico só estava a equipa de futebol do Madalena.

Paulo disse...

Há poucos dias viajei pelo Faial e só tinha 50 e tal pessoas, num avião de 156 lugares, sendo que 33 iam para o Pico, pois vieram comigo na lancha. Isto é só um exemplo num dia de Inverno. Isto para dizer que há dias que era melhor cancelarem determinados voos. E também para fazer ver que se passa em todas as rotas nos Açores. Não apenas na do Pico. Só que no caso no Pico a rota é compartilhada com a Terceira, por isso não dá tanto prejuízo.

Anónimo disse...

O Sr anónimo do dia 5 não sabe o que diz. Quer é lançar a confusão. Onde é que num voo só viaja uma equipa de futebol?

Anónimo disse...

Oh meu amigo, não viajou só a equipa de futebol. Esta juntou-se aos passageiros em trânsito no Pico, que se encontravam dentro do avião. E a eles haveriam de juntar-se mais passageiros na Terceira. Percebeu? Ou precisa de um desenho?