07 abril 2010

Os cancelamentos da SATA Internacional

Chamaram-me a atenção para o cancelamento do voo da SATA Internacional Lisboa - Horta - Lisboa de ontem, dia 6 de Abril.
Mais uma vez a SATA decidiu cancelar o voo com base nas previsões de nevoeiro. Mais uma vez a SATA Internacional foi a única a não operar no aeroporto da Horta num dia em que o pior METAR até ás 20:00 foi o seguinte: LPHR 061030Z 04010KT 8000 -DZ FEW007 BKN013 BKN025 17/15 Q1016
Resumindo, esteve o dia todo muito acima dos limites em termos de tecto e visibilidade para a operação de um A320.

O TAF, que previa "desgraças", era o seguinte:
LPHR 061400Z 0615/0624 13015KT 5000 BR SCT006 BKN012
TEMPO 0615/0624 1500 DZRA BR BKN003
PROB40
TEMPO 0618/0624 0150 +DZ FG VV000

Só temporariamente se previam condições abaixo dos mínimos para a aterragem. É com isto que se justifica um cancelamento? Ainda com a agravante de, em caso de se confirmar as piores previsões, ser possível regularizar a situação dos passageiros no mesmo dia através da ilha do Pico. É este o nosso serviço público?
Não é a primeira vez que a SATA Internacional cancela o seu voo neste tipo de situação, o que contrasta com a política de operação da TAP, que ainda esta Segunda Feira descolou de Lisboa já com o tempo marginal, bem pior do que alguma vez esteve hoje, acabou por divergir para a Terceira, mas, mais tarde, lá conseguiu ir ao Faial.
É verdade que em alguns dias isto não será possível, gastando-se dinheiro no voo, no posterior alojamento dos passageiros e realização de novo voo, mas será que a condição de serviço público destes voos não exige um tratamento diferente quando a previsão claramente não se está a verificar nos METAR e mesmo assim se cancela um voo destes?

40 comentários:

Anónimo disse...

Vem no Açoriano Oriental de hoje
JNAS

Anónimo disse...

è verdade rui , mais uma vez a sata brinca com o povo dos Açores, mas se bem me lembro bem á pouco tempo li uma revista da Deco, onde la vinha um caso parecido e onde o passageiro teve o direito de reclamar, e a historia é simples meus caros amigos sempre que a sata fizer isso reclamem metade do dinheiro da passagem pois tem todo o direito e a sata é obrigada a devolver e mais apresentem todas as despesas feitas como telemovel, taxis etc porque a sata tambem é obrigada a devolver porque isso nao passa de uma brincadeira de crianças o que a sata anda a fazer com o povo açoriano mais propriamente com o povo das ilhas do triãngulo, precisavamos ter alguma concorrência neste ramo pois só assim não brincavam com o nosso povo, abrem os Olhos senhores da administraçao SATA pois voçes brincam demais e penso que ja nao temso idades para andar a brincar com o povo açoriano , com o povo destas ilhas que por vezes tem de se deslocar a lisboa para consultas e exames medico e dependemso do vosso triste serviço INFELIZMENTE.

Bruno Rodrigues disse...

S4 3153 e S4 153, ambos de Lisboa com destino à Horta foram cancelados. Está mau tempo no Pico? Ou foi mais um dia de má vontade da SATA ?

FALCÃO disse...

Mesmo que estivesse bom tempo só no Pico é sempre necessário um alternante.

Anónimo disse...

Falcão, na Terceira aterraram aviões. Servia de alternante, não ?

FALCÃO disse...

Que eu saiba a Terceira é uma base militar.Qualquer aterragem sem autorização prévia só em caso de emergência!!!!

Rui Medeiros disse...

Explique então as duas Satas de Lisboa divergidas para a Terceira hoje...

Paulo Costa disse...

Meditem:

O avião que faz Lisboa-Horta-Lisboa, é, geralmente, o mesmo que faz Lisboa-Madeira-Lisboa. Geralmente é assim:

Lisboa-Madeira-Lisboa-Horta-Lisboa-Madeira-Lisboa.

Agora, pensem lá no que seria a SATA (Air Madeira) a falhar na sua rota de prestígio.

Que paguem os Açorianos, que quem tem direitos é quem paga 35 euros.

Quando o Diáspora bateu forte, as ligações para os Açores foram todas alteradas. Os Madeirenses foram os únicos com direito aos vôos no horário normal ás custas do aluguer de aviões.

Paulo Costa disse...

Caro Falcão, essa "palhaçada" já aconteceu n vezes e irá acontecer muitas mais vezes.

Rui Medeiros disse...

Agora com mais tempo:
Bruno, estava nos limites no que toca ao vento, em visibilidade não chegou a haver problemas, mas continuava a ser uma opção duvidosa.

Falcão, ontem os alternantes realmente eram uma questão importante a ponderar, mas realizaram-se voos para os Açores, logo haviam opções para alternantes, nem que fosse Lisboa. Sobre as Lajes não puderem ser o alternante, sei que às vezes, o facto de ser um aeroporto militar dá problemas, mas em dias como hoje, como já disse, serviu de alternante aos 2 SATA Internacionais. Como é que isso funciona afinal?

Paulo, era mau que fosse daí, mas que a coisa é esquisita lá isso é. Se os critérios ao menos fossem sempre os mesmos a malta anda lhes aceitava a política de não voar assim que aparecem condições abaixo dos mínimos no TAF, mas hoje estava muito pior que na Terça e não houve problema em sair de Lisboa...

FALCÃO disse...

Com certeza conseguiram a autorização prévia,mas o princípio é este.
Se no Pico estava tão bom, porque será que só se realizou um vôo cerca das 21H?

Ricardo Ferreira disse...

O cancelamento devido ao tempo, não terá a ver com algum avião que tenha ficado retido em LPPD? Por cá não se via nada, o METAR apresentava
LPPD 071430Z 13007KT 0100 FG VV000 17/16 Q1017

E esteve a manhã toda assim...Sei que havia um RZO cá, mas não sei se era 310 ou 320...E uma data da satas parados...

Ricardo Ferreira disse...

E as Lajes serviram de alternante ao voo da TAP, enquanto a Sata cancelou os voos de lisboa-LPPD, até aos das 15.55(que chegou ás 16.30, se não, não tinha aterrado), a TAP não teve outro remédio senão ficar com o TNN 6horas na Terceira á espera de melhores condições em LPPD...

Rui Medeiros disse...

Falcão, sem nunca ter dito que o tempo estava assim tão bom, vejo-me na obrigação de responder ao seu comentário cáustico com a observação que o atraso de mais de 4 horas na quarta no voo da Air Açores para o Pico veio com código 93... Não saíu ninguém de S. Miguel nesse dia até depois das 16...

Rui Medeiros disse...

Resumindo o que se passou nos últimos dias no que toca à operação da SATA Internacional no Faial:
Terça cancelaram o voo devido apenas à previsão de nevoeiro que não se chegou a verificar.
Quarta cancelaram os dois voos programados, aqui nada a dizer porque esteve o dia todo muito abaixo dos mínimos.
Quinta, com a previsão muito pior que na Terça e ainda com o tempo já marginal, por vezes abaixo dos mínimos descolaram os 2 voos de Lisboa, acabando por divergir ambos para a Terceira.

O que é que está mal aqui? O primeiro cancelamento na Terça e a diferença de critérios entre a Terça e a Quinta que põe em causa a desculpa publica de decisão do comandante para garantir a segurança devido ás condições atmosféricas. Não se trata de uma questão de segurança, trata-se de uma questão operacional. Com tempo como na Quarta não há hipóteses, mas com tempo marginal há sempre hipóteses de se conseguir operar, se não der, nunca está em causa a segurança porque se não há condições para se aterrar, diverge-se e, secundário a tudo isto, ainda se junta a possibilidade de regularizar a situação através do Pico. Aliás, alguns passageiros de um dos voos da Quinta ainda acabaram por vir para o Pico em voos da SATA Air Açores depois de terem ficado na Terceira.
No entanto, as tripulações da SATA Internacional não estarão habilitadas a operar no Pico...

Miguel Fernandes disse...

Algo estranho aconteceu hoje no voo S4377 o avião abortou a aterragem e voltou a aterrar minutos depois. Alguem sabe o que aconteceu?

Anónimo disse...

Gostava de deixar aqui uma pergunta no ar a ver se algum entendido na matéria dá uma resposta convincente .Porque não estão a voar os Q400 para as Flores ? Voos sempre em ATP ou Q200 que agora até só est
a cá um pois o outro foi para a Madeira

Anónimo disse...

O aeroporto do Pico teve a honra de ser o destino do primeiro voo comercial do terceiro DASH Q400 da SATA: http://www.jornaldiario.com/ver_noticia.php?id=26596

Anónimo disse...

O aeroporto de sao jorge teve a honra de ter o 1º voo comercial do q400 nos açores ;)

Anónimo disse...

Ainda o mito das "low cost", uma interessante opinião:
http://www.diariodosacores.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=5071:sata-deve-ser-a-low-cost-dos-acorianos&catid=30:opiniao

Rui Medeiros disse...

De facto uma opinião muito interessante que vai de encontro ao que penso sobre o assunto.

Anónimo disse...

http://www.acorianooriental.pt/noticias/view/202815

Isto é demais! Até parece que um aumento da pista é que lhes vai tirar o nevoeiro daquela zona... Haja paciência!

Rui Medeiros disse...

Do PSD Faial
Assunto: CANCELAMENTOS DA SATA INTERNACIONAL PARA A HORTA


Diz o nosso povo que o silêncio é muitas vezes sinal de cumplicidade e a Comissão Política do PSD da Ilha do Faial não pode deixar de tomar posição face ao anormal número de cancelamentos de voos por parte da SATA Internacional nas suas ligações com a Horta. Por isso, e porque está claramente em causa o interesse do Faial, e face ao silêncio do Governo Regional, a CPI do PSD do Faial deliberou tornar pública a seguinte posição:

1 - A SATA Internacional cancelou na semana passada alguns dos seus voos ordinários e extraordinários de e para o Aeroporto da Horta, tendo para tal invocado as más condições atmosféricas no Faial e no Aeroporto da Horta.

2 - Confrontado com a investigação jornalística desenvolvida pelo jornal Incentivo, em que se apresentavam as observações do Instituto de Meteorologia que revelavam valores que permitiriam a normal operação, o porta-voz da SATA acabou por reconhecer que nos cancelamentos, para além de questões meteorológicas, "estão também em causa questões relacionadas com a disponibilidade de aeronaves e de tripulação, nomeadamente."

3 - O historial de cancelamentos de voos da SATA Internacional para a Horta é anormalmente grande e desproporcionado, se comparado, por exemplo, com o da TAP, companhia com a qual opera em regime de "code-share" e que utiliza o mesmo tipo de avião.

4 - Se a SATA Internacional decidiu garantir, em regime de "code-share" com a TAP, as ligações entre Lisboa e a Horta em alguns dias da semana, deve garantir que tem condições para prestar um serviço de qualidade nesta rota. E não é aceitável que prejudique por norma esta rota, para salvaguardar a utilização do avião ou de tripulações em rotas posteriores, para mais, muitas vezes ocultando esta causa e invocando "razões meteorológicas".

5 - A SATA Internacional é uma empresa pública. Sobre estes cancelamentos, o Governo Regional, noutras situações tão solícito a exigir explicações, tem estado em silêncio. Ou porque é conivente e conhece e pactua com as verdadeiras razões de alguns desses cancelamentos, ou porque a sua consciência pesa pelas suas responsabilidades nesta matéria. É que não devemos esquecer que na origem de tudo isto está o problema do comprimento da pista do aeroporto da Horta, que penaliza a operação das aeronaves. E a ampliação da pista do Aeroporto da Horta é desde há quase uma década uma promessa não cumprida e sucessivamente adiada com as mais diversas desculpas por parte de Carlos César e dos seus governos.

6 - Por isso, para além de exigir qualidade na operação da SATA Internacional na Horta, a CPI do Faial do PSD exige, mais uma vez, que Carlos César e o Governo Regional do PS cumpram o que prometeram aos Faialenses e avancem, sem mais demoras nem desculpas, para a ampliação da pista do Aeroporto da Horta.



Acho bem que os políticos da ilha façam barulho sobre isto. No entanto devo dizer que no que toca à meteorologia nos cancelamentos da semana passada, apenas têm razão sobre o primeiro cancelamento, não deviam aproveitar o facto para alargar a crítica aos cancelamentos subsequentes.
Claro que aproveitam, já que estão a falar do aeroporto, para exigir o seu aumento, e aqui só pecam por querer associar os cancelamentos à sua dimensão quando o problema desta vez foi o nevoeiro. Mas em política já estamos habituados a que usem tudo o que podem para argumentar, mesmo que isso implique abusar um bocado dos factos.

Anónimo disse...

E se algum dia um A320 arriscar aterrar com esse nevoeiro e a "desgraça" acontece?? Vocês é que não serão os culpados de certeza!!

Segurança acima de tudo, porra!! Os pilotos percebem mais disto do que vocês... DE CERTEZA ABSOLUTA!!!

Mariana disse...

Sr. anónimo, ignorância pura sua... Que desgraça acontece com nevoeiro? não ver a pista e não acertar nela como agora aconteceu com o Tupolev Polaco? O comprimento da pista não interfere com as operações com baixa visibilidade.
Os Pilotos é que sabem tudo... e depois vemos uma grande percentagem dos acidentes dos dias de hoje com culpas nos seus ombros... São gente como todos nós, maus e bons em todo o lado.

O PADRINHO disse...

Só quem não percebe nada de aviação ou é curto de ideias se pode permitir afirmar que uma pista curta não necessita aumentar!!
Estamos a falar na operação de A320.
A pista da Horta é a pista mais curta onde os A320 operam, e o comprimento das pistas não tem nada a ver com o tamanho da ilha mas sim com os aviões que serve.
O caricato disto tudo é que são os Picoenses,que dizem utilizar tanto a pista da Horta como os Faialenses, que não podem ouvir falar no aumento da pista da Horta, que afinal tanto lhes serve!!!!

Anónimo disse...

Vistas curtas terá quem não vê que pistas curtas é o que não falta por esse mundo fora, a maior parte com uma coisa em comum com o Faial, constrangimentos morfológicos. Muitas delas até com muito mais movimento, mas que mantêm as restrições operacionais devido aos custos de obras...
Caricato é não ver que não há diferença significativa de comprimentos no Pico e Faial...

Exemplos LGSK, na Grécia, mais curta e mais estreita que a do Pico e Faial, até lá vão A321's e 757's... KSNA, na Califórnia, com cerca 1700 metros até recebe A310 da fedex...Houvesse procura que os voos apareciam... Muitos outros ão de existir, até aos extremos de SBRJ com pouco mais de 1300 metros servindo A319's.

O PADRINHO disse...

Afinal as vistas ainda são mais curtas do que me parecia! Tão curtas que vai buscar uma pista na Grécia para comparação.
Estava a comparar com as pistas nacionais onde efectivamente é a pista mais curta,mas se na Grécia existe uma ainda mais curta, azar deles, mas não é por isso que ficamos satisfeitos.
QUEM TEM VISTAS LARGAS COMPARA COM OS MELHORES E NÃO COM OS PIORES.

O PADRINHO disse...

Mesmo a pista da Grécia não é tão curta assim.Afinal tem 1628 metros!

Anónimo disse...

Padrinho disse "O caricato disto tudo é que são os Picoenses,que dizem utilizar tanto a pista da Horta como os Faialenses, que não podem ouvir falar no aumento da pista da Horta, que afinal tanto lhes serve!!!!"

Sou do Pico e concordo consigo: se o aeroporto da Horta ficar melhor todos nós ficamos melhor servidos.
É pena é não se aproveitar o contrário, e pior é aproveitar só quando convém: há dias (poucos mas há) em que não dá para aterrar na Horta e dá no Pico - porque não se aterra lá? Quando o Ministro Mariano Gago e o Mário Soares tinham que ir para o Faial em dia de nevoeiro foram para a Terceira? Pois é, foram para o Pico...
Fico triste quando oiço (e já ouvi mesmo) "prefiro ficar na Terceira a ir pelo Pico" quando há voos cancelados para a Horta.
É claro que eu preferia ir sempre pelo Pico mas sinto-me privilegiado por ter o aeroporto da Horta relativamente perto de casa.
Pena é os horários de barco por vezes não serem os melhores.
Agora dizem "lá está o lamento do costume..." Deixo então aqui uma história mais que verídica (infelizmente quase do dia-a-dia) e uma sugestão:
Um sr. da Piedade levanta-se às 4:30 da manhã para apanhar a camioneta que o leva à lancha das 8:30. Chega à Horta às 9:00 e poucos minutos depois está no hospital para fazer análises. Sempre em jejum espera a sua vez da senha que ocorre às 9:55; às 10h está despachado mas perde a respectiva lancha e tem que esperar pelas 13h para chegar ao Pico às 13:30 e à Piedade não antes das 14:15...
SUGESTÃO: Não podia ficar reservado o período entre as 9h e as 9:30 para as pessoas do Pico realizarem as análises? Não é passar à frente mas sim bom senso- 5 minutos a uma pessoa do Faial (que se levanta em princípio mais tarde) não faz grande diferença (penso eu de que).

Como diz o outro, se eu podia viver sem desejar que o Pico e os Picarotos tenham mais e melhor? Poder podia, mas não era a mesma coisa!

Bem Hajam!

Anónimo disse...

Então a do Faial tb não é tão curta assim, tem 1647...

Garcez disse...

O mais triste deste blogue e de alguns comentários que por aqui proliferam é constatar que provêm de besuntas qualificados, ou não.

O PADRINHO disse...

A pista do Faial tem 1595 metros disponíveis para aterrar e 1647 para descolar . Assim é que é!!

Anónimo disse...

E a tal grega também só tem 1570 para a aterragem num dos lados

O PADRINHO disse...

A tal Grega tem 1628 metros para aterrar na pista mais utilizada.

Afilhado disse...

Aahahah! Não faz mal Padrinho, em breve S. Jorge toma o lugar do Faial como pista Portuguesa mais curta que recebe o A320!!
Ahahahahahahahahahah!

Ilhéu em Pé disse...

E porque que não fazer uma terraplanagem ao Faial todo? Assim teriam uma pistazita maior qualquer coisa (nunca iria ser muito grande, porque... lolol) e ficavam todos satisfeitos. Eles, claro.
Traria ainda o benefício de não os vermos, pois o ilhéu iria ficar mais ou menos ao nível do mar.

PAI disse...

Também acho que São Jorge tem futuro como escala nos vôos LISBOA /PICO se SBRJ com pouco mais de 1300 metros servindo A319's.
Ficamos a aguardar que o Pico tenha combustível para que a rota Lisboa/S.Jorge/ Pico/Lisboa tenha o seu começo e com 3 (três) vôos semanais. ÁS Segundas,Quartas e Sábados! Convêm não esquecer que juntos somos 26.000.

Anónimo disse...

Terraplanagem precisam vocês fazer ao Pico para terem um aeroporto decente!!!O pior é que o Faial perdia a melhor vista que tem!!!!

Anónimo disse...

Ouça lá você nao percebe nada de meteorologia ou percebe? e de pilotagem tambem percebe? acho que nao.