23 abril 2010

Flores sem Q400?

O Q400 ainda não voou para as Flores comercialmente. Este facto está a suscitar alguma inquietação que foi expressa num requerimento enviado à assembleia legislativa pelo PSD.
O requerimento sugere como explicação para esta "interdição" a existência de limitações operacionais devido às dimensões da pista.
Não sei o que está a causar o atraso no início dos voos com o Q400 para as Flores, mas posso garantir que a dimensão da pista não pode ser a culpada, uma vez que o novo avião da SATA tem uma performance muito superior ao ATP que até lhe permite descolar das Flores com o peso máximo estrutural, em determinadas condições atmosféricas. A largura da pista também não é problema, uma vez que o avião está certificado para operar em pistas com 30 metros de largura e, caso seja necessário, pode-se pedir um suplemento que lhe permite operar em pistas ainda mais estreitas.
Assim, a única coisa que me parece passível de estar a causar este problema é a resistência da pista. No AIP a resistência da pista está declarada como PCN 15/F/C/X/T. O ACN do Q400 para pavimentos F/C é 18,3. O ACN deveria ser sempre igual ou inferior ao PCN...
Em termos práticos isto quer dizer que a pista das Flores pode sofrer danos estruturais se o Q400 a utilizar de modo sistemático com pesos próximos do seu MTOW.
Não sei se é este o entrave que tem justificado a não operação dos Q400 nas Flores, mas se assim é, vão ser necessárias obras de repavimentação para que o Q400 possa lá operar regularmente, embora a pequena diferença que está em causa entre o ACN e o PCN não deixe adivinhar uma degradação rápida.
Fico a aguardar a resposta ao requerimento e entretanto vou tentar descobrir o ACN do ATP para comparação, que deverá ser um pouco inferior dado a diferença de mais de 6 toneladas no MTOW.

9 comentários:

Rui Medeiros disse...

Já descobri, o ACN do ATP para pavimentos flexíveis e subgrade C é 14, no MTOW.
Acrescento ainda que o ACN do Q400 nas mesmas condições de pavimento mas com o seu peso em vazio é 9.
Ou seja, o ACN depende do peso, assim, assumindo que é este o problema, pode ser possível operar nas Flores com limitações de peso sem prejudicar a pista. Falta saber quão severas seriam essas limitações e se não comprometeriam economicamente a operação.

Anónimo disse...

Na minha opinião, como só há um Q200 ao serviço no arquipelago dos açores, e ainda há atp's ao serviço, e um q400 parado, estam aproveitar esse atp para ir as flores juntamente com o q200 enquanto o q400 está parado e o atp ainad ca se encontra.

simão bessa disse...

Eu espero bem que as Flores consiga ficar com Q-400 oxalá...

Bruno Costa disse...

Boas, por acaso recebi o requerimento apresentado pelo deputado de um partido politico e era para publicar um texto sobre o assunto.De qualquer forma também me questiono o porquê da "não" vinda do Dash Q400 Às Flores, até porque em conversas com pessoas ligadas à aviação o motivo prende-se mais com a escapatória da pista, mas tal como referiu no seu texto existem pistas com menos escapatórias e menos condições que as das Flores, por isso continua a questão no ar!
cumprimentos e parabéns pelo blog.
Bruno Costa

Anónimo disse...

Se o problema é o PCN, entao porque nao voam penalizados?
Tirando o combustivel gasto para chegar as Flores e 20 lugares, fica com certeza com ACN abaixo de 15... mas o Rui é que é o entendido por isso pedia-lhe que fizesse essas contas sff. Talvez seja a solução...

Rui Norberto

Rui Medeiros disse...

Se o problema é o PCN, limitar o peso do avião pode ser uma resolução. Estimo que com 25 Tons o ACN do Q400 ronde os 15.

Neil King and Carol Duncan disse...

Houve um Q400 hoje (Domingo 2 Maio) com o voo SP570 da PD e Horta. Foi o primeiro nas Flores em servico comercial? Teria pensado que alguem teria dado noticias do primeiro antes de hoje ... (Desculpem o meu mau portugues!)

Rui Medeiros disse...

Foi sim senhor.
Além disso dizem-me que a restrição inicial terá mesmo tido a ver com a largura da pista e que depois de se ter consultado o INAC, foi dado o parecer que não há problema, como seria de esperar dado o que vem no manual de voo do avião. De qualquer forma ainda não tenho confirmação de que tenha sido mesmo assim.

Bruno Costa disse...

Sim defacto é verdade.No domingo dia 2 de Maio foi o primeiro voo comercial do Q400 às Flores, do qual tive prazer em fazer parte dos passageiros. já agora faço publicidade ao meu blog, com autorização do Sr Rui Medeiros, claro. visitem http://spottingaocidente.blogspot.com/
obrigado. Bruno Costa