28 dezembro 2009

Mau tempo

Ontem o mau tempo afectou bastante as ligações aéreas nos Açores. De manhã já havia dificuldade em operar na Terceira por causa do vento forte, de Sudoeste, e para a tarde a situação foi-se agravando em todas o arquipélago, o que levou a SATA Air Açores a cancelar todas as saídas de Ponta Delgada a partir das 14:00.
O vento chegou a rondar os 45 a 50 nós nos METAR em quase todas ilhas.
Ainda foi cancelada a primeira ligação marítima entre a Horta e a Madalena, mas, segundo a RTP Açores, foi fretada uma viagem por volta das 11 por passageiros do Pico que queriam apanhar o voo para Lisboa.
Hoje o vento rodou para Oeste e está um pouco mais fraco o que deverá permitir a retoma da normalidade nos transportes.

26 dezembro 2009

24 dezembro 2009

Boas Festas

23 dezembro 2009

Spotting no Pico XVII

Bem, tenho que ir aproveitando estes dias de férias, lá arranjei mais umas fotos de aviões! São de ontem, do A319 que fez o TP3817 e do Falcon da Força Aérea que fez um toca e anda pouco depois, mas deste último, como estava a chover, só tirei fotos de dentro do carro a mais de 1 km de onde ele está, não saiu nada melhor que a que aqui coloco.




Finalmente, deixo aqui, para os que gostam de gozar com a malta a ver os aviões passar para o Faial, uma disso mesmo, um Canadair CL-415, matrícula M71-01 da Malaysia - Maritime (MMEA, coisa rara por estes lados, a passar para o Faial! Espero que os spotters tenham feito melhor por lá!

22 dezembro 2009

Voos cheios vazios

Hoje houve passageiros do voo TP3817 que tiveram que ser acomodados na executiva na perna Pico - Terceira por falta de lugares vagos na económica. Da Terceira para Lisboa já havia lugares vagos.
Não é a primeira vez que isto acontece, já me aconteceu a mim e pelo menos mais uma vez este mês.
Como é que a TAP quer que a ocupação dos voos aumente se não há lugar para mais ninguém à saída do Pico? Na prática o avião está cheio, na teoria das estatísticas, o Pico não gera tráfego suficiente porque não são os nossos passageiros a encher o voo, mas também não há lugar para mais e é vê-los a atravessar o canal... Não podemos dizer ao pessoal para a Terceira para não usar este voo se é o que lhes dá jeito, o que é preciso é acabar com a escala. Onde é que está o combustível?

21 dezembro 2009

Voos extra de Natal

Tenho recebido alguns comentários com queixas relativas aos voos extra de Natal. Se bem que posso concordar que ainda existiriam passageiros suficientes para mais voos e que um voo na passada sexta, sábado ou domingo daria jeito a muita gente, também será necessário olhar para as coisas do ponto de vista da companhia.
Este Natal vão haver 3 voos extra, amanhã, dia 4 de Janeiro e o já habitual para a corrida dos Reis, a 19 de Janeiro. Todos eles serão efectuados no horário do voo regular, os dois primeiros com um A319 e o último em A320.
Segundo o que se pode perceber pelo amadeus, o voo de terça já tem lugares limitados para o regresso a Lisboa, e os outros dois estarão cheios. Mesmo no voo de vinda, só o do dia 19 parece estar muito folgado. Ou seja, apesar das críticas às datas a ocupação não andará má.
Vendo a coisa do ponto de vista da companhia, é muito díficil fazer os voo extras todos no mesmo dia, os recursos não são ilimitados e há um aumento de procura para todo o lado.
Claro que devemos sempre ir lembrando que as coisas podiam ser melhores, mas penso que neste campo já estamos com alguma melhoria que espero que continue para os próximos anos.

20 dezembro 2009

Spotting no Pico XVI

Depois dos voos após o por-do-sol, este sábado o aeroporto do Pico teve outro primeiro voo! Foi o primeiro voo antes do nascer do sol. Fui ao aeroporto a pensar numa aterragem na 09 que tinha potencial para uma boa foto, mas afinal estava em uso a 27 e acabei por só conseguir isto:


Ainda tirei mais umas fotos da saída do CS-TRB, que fez este voo extra PDL-PIX-PDL.




Da TAP não consegui grande coisa, mas fica aqui o registo da passagem do CS-TNG pelo Pico.


Hoje, voltou a haver um voo nocturno e voltei a tentar umas longas exposições. Na aterragem quase não é perceptível o risco de luz deixado pela passagem do ATP.



18 dezembro 2009

Reflexos

As luzes sempre têm servido este Natal! Têm acontecido alguns atrasos e é refrescante que já não seja necessário preocupar-nos com o por-do-sol! Assim, deixo mais uma foto, tirada ontem ao anoitecer.

14 dezembro 2009

Blog no Bom Dia Açores

Fica aqui um excerto do programa Bom Dia Açores do dia de hoje, no qual participei. Aproveito para voltar a agradecer o convite!

video

12 dezembro 2009

Spotting no Pico XV

Deixo aqui mais umas fotos dos aviões no Pico, começo por duas de quinta.


Esta saiu tremida, a máquina não quis ficar quieta em cima de um poste da vedação. Mesmo assim o efeito da passagem do avião com os reflexos das luzes de aproximação na longa exposição continuam, na minha opinião, a ser interessantes.


Estas duas são de Sexta.



E mais três de hoje.



10 dezembro 2009

A escala do SATA Internacional

Impressionante o poder do lobby para a ampliação do aeroporto da Horta!
Por causa das condições meteorológicas em Lisboa era aconselhado transportar algum combustível extra para a eventualidade de esperas adicionais, por esse motivo o voo S4153 fez escala em Ponta Delgada porque não conseguiria sair do Faial com esse peso extra, devido ás limitações que o comprimento da pista do Faial impõe aos A320.

Isto só é impressionante porque foi notícia nacional, enquanto no Pico se cancela por limitações também derivadas do comprimento da pista e muito pouco se vê dizer com excepção de alguns blogs e destas duas notícias que não passaram do âmbito local e não são totalmente relacionadas com o cancelamento.
Eu diria que um cancelamento é mais extremo que uma escala. Devo estar enganado.

Só tenho que dar os parabéns ao lobby pela ampliação da pista da Horta!

08 dezembro 2009

Blogs de aviões do triângulo

A aviação no triângulo passa a ter a sua representação completa na blogoesfera com a abertura do São Jorge Aviation que nos pretende dar a conhecer a evolução das obras que por lá decorrem. Para quem ainda não conhece o representante Faialense volto a mencionar o Aviation in Faial Island.

05 dezembro 2009

Pista molhada

O que se passou no aeroporto do Pico hoje vai merecer mais umas linhas neste blog.
Estava um verdadeiro dia de Inverno, chuva, má visibilidade e ventos fortes. Os passageiros do Pico, habituados às limitações do vento Sul, associam logo vento forte ao cancelamento do voo. Já se ouvia toda a gente a falar em cancelamentos pela aerogare, provavelmente sem perceberem que o vento estava de Oés-sudoeste, já fora do quadrante mais limitativo do Pico.
O vento não me preocupava, mas os chuveiros que começavam a passar estavam a deixar-me com dúvidas.
O primeiro voo do dia foi o SATA 470. O voo, atrasado devido ao congestionamento das portas de embarque em Ponta Delgada, aterrou lá pelas 11 horas sem problemas, com ventos na ordem dos 35 nós, chuva e com a visibilidade a reduzir.
Pouco tempo depois chegou o TAP à frequência do Pico, chuva no aeródromo foi a pior notícia que podiam ter recebido e pediram à Horta para ficar em espera no ponto SOLGI, onde começa a aproximação por instrumentos ao Pico. Pediram também que lhes mantivessem informados de qualquer melhoria nas condições, nomeadamente da condição da pista. Mas até o nosso AITA estava mais preocupado com o vento do que com a água na pista. O vento estava forte, é verdade, mas a pista molhada parecia ser a maior preocupação da tripulação e com razão, uma vez que uma aterragem numa pista molhada requer até mais 40% de distância para parar e, caso esta esteja contaminada, o que equivale a mais de 3 mm de água na pista, até 300% mais. Em pistas limitadas como o Pico o melhor é mesmo não arriscar, aliás, durante o chuveiro, ninguém garante que estão menos de 3mm de água na pista.
Quando a chuva parou a informação foi passada aos pilotos que perguntaram quanto tempo levaria a pista a secar. Não é um pedido fácil de se responder e após se ter dito que em 5 a 10 minutos não devia secar lá decidiram rumar à Terceira.
Eu não tenho grande experiência nisto, mas já vi aterrarem no Faial, antes do grooving, com a pista em condições semelhantes após chuveiros. A grande diferença é que lá a torre pede ao follow me para ir verificar as condições da pista e, desde que não exista água parada, os tais 3 mm, a decisão costuma ser pela aterragem. Mais uma coisa que falta ao Pico, além de parecer não existir um conhecimento sobre a performance de aeronaves que lhes permita perceber as questões da tripulação em relação ao estado da pista, (não é só informação de vento que um serviço de AFIS deve providenciar) não há pessoal qualificado para o puder reportar com alguma precisão, o que será especialmente importante no Pico, dado as limitações derivadas do comprimento disponível. E isto já tem interferido com a operação no Pico algumas vezes.
Além disso, este cancelamento vem reforçar a questão que já aqui lancei: Para que é um ILS se não se pode aterrar com a pista molhada? Claro que esta questão é um pouco à bruta, já aqui falei dos benefícios dessa instalação, mas dadas as derrapagens devido a questões técnicas que não estavam previstas, não sei se esse mesmo dinheiro investido em alcatrão não traria maiores benefícios operacionais. São mais os dias de chuva do que os dias de nevoeiro e são poucos os dias de baixa visibilidade sem a pista estar molhada…
Com tudo isto sinto que devo dizer de novo que temos um excelente aeroporto que vai ficando cada vez melhor, mas para as operações regionais, não é para os A320.
Continuando a história, o TAP lá chegou à Terceira e ainda perguntou pelo tempo do Pico, mas ainda não estava a melhorar. Então lá arranjaram as coisas para voltar para Lisboa, e os passageiros que embarquem amanhã pelo Faial. Mais uma vez, usa-se a possibilidade de utilizar o Faial, mas só quando dá jeito à companhia, já que ir lá hoje com o avião que deveria aterrar no Pico não parece ser opção, apesar de ser uma hipótese contemplada nas obrigações de serviço público.
O voo acabou por só sair da Terceira pelas 14:40, hora que daria para os passageiros já estarem no Faial e além disso hora a que já tinha parado de chover no Pico à mais de uma hora. Mas nada de tentar de novo. Compreende-se que a vida da TAP não é só Pico e existirão outras razões operacionais por de trás destas decisões, mas quem se volta a lixar somos nós.
Para não acabarmos por aqui e realçando o problema operacional da TAP no Pico com a pista molhada, às 15:30 aterrava no Pico o Dash em mais um voo de treino.
O tempo estava mau… Mas os aviões não são feitos só para os dias de sol, já das pistas parece que não se pode dizer o mesmo.