31 julho 2009

Alternantes

Ainda há poucos dias discutia-se o tema dos alternantes entre o Pico e o Faial. Hoje tivemos uma demonstração de como quando está vento sul a visibilidade no Pico pode manter-se boa em relação aos aeroportos vizinhos, como se pode ver nos METAR das 9 horas, altura em que o TAP lá voltou a alternar para o Pico.
LPPI 310900Z /////KT 9999 FEW004 SCT008 23/22 Q1022 RMK RWY09 23013KT RWY27 24013KT
LPHR 310900Z 26007KT 4000 BR BKN003 22/22 Q1022
LPSJ 310900Z 29007KT 0300 FG VV/// 21/21 Q1023 RMK RWY13 29005KT RWY31 29006KT
Quem sabe esta decisão operacional foi facilitada pelo facto de já estar planeada uma escala para reabastecimento na Terceira, a verdade é que constando ou não como alternante oficial no plano de voo, se pode divergir logo para o Pico. Tenho ideia de que o alternante do Plano de voo tem de ter as limitações que tem por uma questão de planeamento de combustíveis e garantia de segurança da operação, mas na prática pode-se divergir para aeroportos mais próximos com aconteceu hoje. O que será necessário é planear para outro longe o suficiente para se cumprir com todas as normas. Outro exemplo disto mesmo é a utilização de Porto Santo quando se diverge na Madeira quando oficialmente tem de constar como alternante as Canárias ou Lisboa pelos mesmos motivos de proximidade entre as duas ilhas do arquipélago da Madeira.
Por outro lado também o voo SP440 saiu de Ponta Delgada para a Horta depois de atrasar 2:20 à espera de melhoria, sem que no entanto o tempo chegasse a melhorar. Seria interessante saber se o plano de voo quando finalmente saiu já previa a aterragem no Pico ou manteve-se o inicial divergindo depois para o Pico. Na prática este voo nem chegou a aproximar ao Faial, seguindo directamente para o Pico.
Ou seja, pormenores operacionais à parte, o Pico pode servir de alternante ao Faial.
Mais tarde veio ainda ao Pico o SP568 que seguiu para o Corvo (Terá sido o primeiro voo Pico – Corvo?) e, com o vento a virar a norte e a forrar o Pico também, ainda aproximou o SP630 que acabou por não ver a pista e voltou para a Terceira (onde é que está o ILS?).
No meio de tudo isto ganham os passageiros que não tiveram de voltar para Lisboa ou ficar mais uma noite em S. Miguel.
Para finalizar, ficam umas fotos de hoje, tiradas pelo Duarte Medeiros! Obrigado!



20 comentários:

luis disse...

Excelentes fotos!!!!!! Pena não ter sido o dia todo e o vento não se manter de sul :)

Rui Medeiros disse...

Pesquisei mais um pouco e coloquei esta questão da distância mínima num fórum e as conclusões são que não existe nas normas e recomendações da ICAO, neste caso anexo 6, nem nas JAR OPS, uma definição de uma distância mínima para um aeródromo servir de alternante. No entanto muitas companhias utilizam SOP's que definem essa distância, normalmente as tais 50, ou até nalguns casos, 100 milhas náuticas. Mas nada impede que se seleccione um alternante primário dentro dessas limitações para efeitos de combustível e se defina outros alternantes mais próximos do destino.

amg disse...

«barras» no vento e o TAP foi lá?
curioso...

Anónimo disse...

Ai Luís, não é preciso esperar muito por um vento Sul fortinho !!!! Fica a placa deserta!!

Anónimo disse...

Cá eu prefiro ir para outro lado qualquer em dias de mau tempo que não o Pico! Apanhar autocarro, apanhar lanchar... Antes esperar mais umas horas e vir ter certinho a casa!

Anónimo disse...

Rui!
Parabéns pelo teu blog que é deveras interessante e muito educativo.
Nunca te arrependas de dizer a verdade doa a quem doer.
Há coisas que a política esconde, mas que a verdade denuncia. Mais uma vez parabéns e continua sempre a lutar pelo bem do NOSSO PICO!

Rui Medeiros disse...

amg:
Foi lá não, vai lá. Já vai para mais de um ano que essas barras aparecem no METAR... Não sei que se passará com o anemómetro do meio da Pista para terem isso sempre assim. Pior ainda, há coisa de um mês, também estavam barras no vento da 27, ou seja, só havia informação do vento do anmómetro da pista 09... E sim, a TAP continuou a ir lá.
Outra coisa que acho mal dentro deste assunto é que quando há poucos voos, os METAR chegam a deixar de ser emitidos mesmo durante as horas de suposta operação do aeroporto do Pico...

Quero ainda realçar aqui o comentário de segundo anónimo do dia 2, demonstrando o problema que pelo menos algumas pessoas do outro lado do canal têm em fazer uma coisa que os Picarotos estão fartos de fazer, fazem-no sempre com tranquilidade e ainda são criticados quando falam em mudar um pouco as coisas. Porque razão uns podem e, não opinião de muitos, até devem atravessar o canal, e os outros nem põe a hipótese de o fazer nos dias que a meteorologia não permite a operação no Faial...

Gonçalo Vieira disse...

Admiro banstante o teu trabalho Engenheiro Aeronautico!
Podes dizer-me como se entra para esse curso?
Obrigado

Anónimo disse...

Caro Rui, que a voz nunca te doa! Isso só vem demonstrar uma coisa: É que, até, nessas (pequenas) atitudes se vê quem é superior e não padece de complexos. Sejam eles quais forem!

Anónimo disse...

Primeiro há outras alternativas mais cómodas para mim e para a maior parte dos passageiros.
Depois ninguém está a obrigar-vos a atravessar o canal. Têm voos pela Terceira e já têm alguns directos.
Vocês é que se queixam em atravessar o canal. Por isso tentem mudar isso. Queixa-se que têm de ir pelo Faial. Vão pela Terceira então! O Faial tem culpa de vocês preferirem voar para lá? Então não se queixem!
Reclamem para vocês, e justifiquem para vocês! Não justifiquem apontando os outros. Isso é uma atitude de desespero e que ultimamente tem dado às pessoas que assitem a isto de fora uma muito má impressão do Pico.
Impressionante que raro é o post que aqui se faz sem se mencionar o Faial.
Que idiotice...

Rui Medeiros disse...

Alternativas mais cómodas? Voltar para Lisboa era mais cómodo?
Claro que não nos obrigam a atravessar o canal, pelo menos para apanhar o avião, mas a melhor opção, ou a mais cómoda se quiser, para se voar de e para o Pico, é muitas vezes ir pelo Faial. Seja por preços, por horários ou tempo de espera nos voos de ligação. Isto é tão recorrente que se reflecte nas estatísticas que depois nos dificultam a vida quando reclamamos melhores ligações. O problema será que quando se fala no assunto, acusam-nos sempre de estar a atacar o Faial... Já foi aqui dito muitas vezes, não quero nada de mal para o Faial, mas infelizmente, neste aspecto das ligações aéreas, não vão aparecer muitos mais passageiros do nada e os que existem já arranjam solução para sair do Pico. Assim é normal que para melhorar as ligações ao Pico seja muito difícil não mexer nas do Faial. E é isso que nos causa todos estes conflitos.
Não sei como quer que fale neste tema da aviação no nosso cantinho sem falar no Faial? Até parece que incomoda que se fale nisso. Porque é que não vou falar no Faial se quem quer vir ao Pico voa por lá, se quando está mau tempo se diverge para lá, se o controlo aéreo é feito lá, se o que se faz numa afecta a outra, etc... Somos ilhas irmãs, o triângulo é cada vez mais uma realidade, devemos trabalhar para o desenvolver. Só não queremos que o Faial seja a base e as outras ilhas sirvam de cartaz turístico para serem alvo de visitas relâmpago de meio dia... Eu vou fazendo o meu papel puxando pelo aeroporto, e isso implica falar do que se vai passando no Faial. Não gosta de ouvir tem remédio fácil, não passe pelo blog. Não sou dono da verdade mas tento ser justo, não estou aqui para deitar nada nem ninguém abaixo e dou aqui a minha cara enquanto os senhores fazem criticas fáceis e contraditórias escondidos pelo anonimato.

Rui Medeiros disse...

Boas!
O curso de Engª Aeronáutica na UBI faz parte do ensino superior público, logo tens de te candidatar normalmente como para qualquer outro curso universitário.
Tens mais informaçoes aqui ou entao vai a www.ubi.pt

Anónimo disse...

É bom que continues que esta luta que há muito já deixou de ter razão.

É bom que hajam blogs destes no Pico. Para quem vê de fora, ver o tipo de gente que são...

amg disse...

metar´s:
não deixa de ser uma maneira curiosa de emitir um metar (o seu formato) ... mas em ventos «mandas tu» ...
Já agora, o «curioso» (e interessante) é devido ao facto de, quando a TAP começou a operar para a Horta, um dos requisitos era ter o anemómetro operacional, o que muita preocupação dava á equipa de manutenção; pelos vistos com o A320 já não precisam.
----------
A propósito de ventos, uma curiosidade: porque não consideraste no teu trabalho uma estação a «meia distância» como a do observatório da Horta? Era capaz de ser interessante.

CPDL disse...

Excelente série.
Os meus parabéns.
Abraço

Rui Medeiros disse...

Não deve ser especifico do Pico, já vi essas barras umas horas no METAR das Lajes, deve ser standard para indicar falta de dados. Era bom se mandasse no vento... :P
Diz que um dos requisitos da TAP era ter O anemómetro operacional, interpretei bem? Havia só um?
Se assim era não estamos a falar de uma mudança de procedimentos porque esteve sempre pelo menos 1 anemómetro a funcionar, aliás não percebo porque não passam a emitir os METAR com as indicações de um dois 2 anemómetros que estão operacionais em vez de lá colocarem as barras e em seguida as informações dos dois em RMK.

A principal razão para não se terem recolhido mais dados de vento foi o preço. Bom bom era uma panóplia de sensores espalhados pelo Pico e Faial, mas se nem dinheiro havia para comprar os dados ao I.M., quanto mais para andar a instalar sensores.

amg disse...

tiveste de COMPRAR dados ao IM? Do bolso da UBI,espero! E para um estudo que é interessante para Meto Aeronáutica. Este IM está cada vez melhor!...
E depois ainda falam da «colaboração» com universidades...!!

ps: o Observatório também deveria ter registos, mas já nem digo nada...

Rui Medeiros disse...

Bem, tive direito a desconto de estudante.

Defensor nº 1 disse...

O anónimo da "idiotice" já percebeu porque é que os passageiros do Pico, quase não tem alternativa que usar o Faial para ir para/regressar de Lisboa ? (até porque as ligações por S. Miguel e Terceira são sempre - propositadamente? - péssimas)

Grande Lição Mestre Rui!
Que a verdade venha ao de cima, com uma ajuda assim!

Oxalá aparecessem mais vozes!...
(já que os políticos estão só a trabalhar na sua reeleição...)
E se as "vítimas" fossem mais reivindicativas, outro galo cantaria!

Anónimo disse...

vir de lisboa pela terceira?
eu vim, mas cheguei à terceira às 10h00 e sai para o Pico às 18h30. isto sao ligações decentes?