19 janeiro 2009

TAP no Bom dia Açores

Chamaram-me a atenção para uma participação de alguém da TAP no programa Bom dia Açores desta manhã, em que se discutiram alguns aspectos relacionados com a operação no Pico. Eu não tive acesso ao programa mas transmitiram-me, resumidamente, que foi dito que a taxa de ocupação mantêm-se baixa, na ordem dos 40% tendo mesmo caído 3% este ano em comparação com 2007, sendo que esta queda foi ainda associada à mudança do dia do voo para o sábado. Terá sido dito também que não se vem mais vezes ao Pico porque não há oferta de alojamento suficiente durante o verão, entre outras limitações como a falta de combustível, e a impossibilidade de operar de noite por imposição da própria operadora.

Visto isto eu acrescentaria que a ocupação para o Pico de facto não é nada de especial mas, a meu ver e dada a especificidade do nosso caso, mais um voo não terá o efeito de diminuição dessa ocupação uma vez que todos sabemos que ninguém espera uma semana por um voo com a possibilidade de sair pelo Faial, ou seja, a baixa ocupação é potenciada pela baixa frequência. Vale a pena referir também que os voos são feitos em A320, se fossem em A319 tínhamos logo um aumento na estatística da ocupação na ordem dos 8%. Quanto à diminuição de 3% em relação ao ano passado, penso que não a devemos associar ao voo ter passado para o Sábado. É preciso lembrar que só em Maio é que o voo mudou para o sábado e nessa altura com partida do Pico ao fim da tarde, de tal modo desajustada que muitas pessoas utilizaram o voo da Horta no mesmo dia porque chegava mais cedo a Lisboa. Só em Novembro o voo passou para o horário actual. Logo acho cedo para se tirarem conclusões, ainda para mais quando 3% equivale a apenas 240 passageiros. (Bastava 1 voo extra de Natal cheio para compensar esta descida...)
Depois aparece a desculpa do alojamento, e aí basta-me perguntar como é que no verão o Faial suporta 14 vezes mais voos que nós com cerca de 3 vezes mais camas? Não pode ser por aí que podem desculpar não fazer mais 1 voo.
E para finalizar, ainda nos dizem que não vêm ao Pico de noite! Isso já nem é novidade, afinal só a Força Aérea experimenta as nossas luzes! Mas ninguém está a pedir que o segundo voo seja de noite!

66 comentários:

artur xavier disse...

Esta é a velha e estafada história da pescadinha de rabo na boca...
Não há mais voos porque não há passageiros e não há passageiros porque não há mais voos!
Quem vive no Pico e não só, sabe muito bem as vezes que já viajou pelo Faial, mesmo depois de haver escala da TAP na nossa Ilha (...E há-de continuar a fazê-lo!?). A realidade, infelizmente, é esta e só não a admite quem não quer!
Não podemos é ficar de cócoras, à espera que alguma coisa caia do céu. Para bom entendedor, meia palavra basta. Não será assim?

Anónimo disse...

A título de curiosidade, faço a seguinte pergunta: A SATA Internacional já veio alguma vez ao Pico (code-share)?

Rui Medeiros disse...

Não. Isto deve-se ao modo como as rotas foram distribuídas entre as empresas e aos seus horários, Pico para a TAP, Santa Maria para a SATA. Também podemos ver que a SATA só voa para a Horta à terça e quarta, sendo que de Inverno não vai lá à terça. São questões de horários internas. Mas essa sua pergunta lembra que quando nos queixamos do que a TAP faz, estamos por defeito a queixar-nos da SATA também porque pactua silenciosamente com a situação actual.

Anónimo disse...

Boas notícias: nova tarifa promocional para residentes a 165,56 € e que permite alteração de datas!

Anónimo disse...

Só vos posso dar os parabens por ainda não terem acabado de vez com esse crime económico, que é de se pensar que todos têm que ter o avião à porta para ir para Lisboa. Se é assim,voo directo de S. Jorge para Lisboa, já, que tambem somos filhos de gente. Se a TAP pode ser obrigada a voar para onde alguns políticos desonestos querem, por que não lhes sai do bolso, então todos têm direito a colaborar com os prejuízos da companhia. Ou há moralidade ou comem todos...

Anónimo disse...

Vamos propor, como bons Açoreanos, que os passageiros do Pico quando voarem pela Horta, tenham a passagem de barco e o taxi já incluidos na passagem aérea sem acrescimo de custos.Isto sim, é que se pode considerar serviço público e quem disser o contrário não é coerente nem realista; Muito menos se exigir mais voos para o Pico.
Como vêem a solução para falta de voos ao continente está encontrada.

Anónimo disse...

É fácil encontrar a solução,basta voar com a AEROHORTA que já pratica esta medida há muitos anos!!!!

Anónimo disse...

Para que é que o Pico tem um aeroporto? Não sei porque não se poupa dinheiro e manda-se tudo para o Faial!

Anónimo disse...

Se ja tivessem feito uma ponte, nada disto acontecei.

Anónimo disse...

para que é que há uma escola no pico? os alunos podiam ser transportados gratuitamente para a Horta...

Anónimo disse...

Uma escola?...educação é uma coisa, mas teimosia em relação ao aeroporto e mais voos é outra!
Realmente é só tiros nos pés que o Pico dá.

Paulo Pereira disse...

Insistir no argumento de que os picoenses estão condenados a apanhar a TAP no Faial, especialmente agora, quando está prestes a inauguração do parque de combustíveis, só pode ser desespero.
E qual é o argumento para a existência de secretarias regionais e universidade em 3 ilhas, triplicando os custos?
É como diz o “nosso” padre: haja moralidade, ou então comem todos.
Porque não está certo comerem sempre os mesmos!

artur xavier disse...

Brilhantes ideias, sim senhor! Pagam-se as despesas do canal e entre o cais e o aeroporto da Horta, ao pessoal do Pico e o problema fica resolvido! Não está mal pensado, não senhor! E, já agora, se me permitem o alvitre, porque não o contrário?! As duas Ilhas têm, sensívelmente, a mesma população e se a única dificuldade reside nas despesas, concerteza que os nossos vizinhos não se importarão de atravessar o canal, de vez em quando, à semelhança do que nós fazemos há, já, muitos anos e apanhar o avião, no Pico, rumo a Lisboa. O que acham desta (Também brilhante) ideia?
Como dizem os nossos irmãos brasileiros: "Pimenta no c... do outro, é refresco!" Ah, pois é!!!

Rui Medeiros disse...

Caro Artur Xavier, em sequência ao seu comentário, achei que valia a pena responder a tudo isto com uma curiosidade histórica.
Em 1954 o Coronel Pinheiro Correia disse numa entrevista sobre o problema das ligações aéreas açorianas, num texto que foca principalmente o aeródromo de Santana, o seguinte:
(...) Sobre o Faial, conclui que a construção de um pequeno aeródromo, se bem que possível, nunca seria de aconselhar em face das importantes verbas a despender. Aguardemos que o helicóptero possa resolver a sua situação num futuro mais ou menos próximo. (...)
Isto vem do responsável pela localização de aeroportos como o Porto, Lisboa, e Monte Real, ou seja, é um técnico com qualificações para falar do assunto.
Depois disso, em 1965 aparece o seguinte folheto.
Ou seja, afinal os nossos vizinhos chateiam-se tanto com a ideia de atravessar o canal para apanhar um avião que conseguiram ultrapassar as recomendações técnicas de modo a fazer um aeroporto num local mais limitado e mais caro. À que lhes levantar o chapéu. Quem sabe como seriam hoje as coisas se tudo tivesse sido diferente...

Nota: os documentos históricos a que faço referenciam, estão no fórum sobre história de aviação em www.voaportugal.org

Anónimo disse...

Como o próprio folheto o diz, e muito bem, era para ser construido no Pico mas afinal passou para o Faial a construção do aeroporto.Se a pessoa em questão era competente, conforme o Sr. Rui o diz, então a localização na Horta foi a melhor escolha.Se fosse para ser no Pico ainda hoje estariamos á espera devido ao não entedimento entre as três vilas.

Rui Medeiros disse...

Como é do conhecimento geral, a escolha foi politica.
Além disso no folheto aparece logo a primeira limitação do local em Castelo Branco que é a possibilidade de fazer uma pista com apenas 1700 metros. Hoje em dia é muito falado o tema da sua ampliação e uma razão para que esteja a ser tão difícil avançar com ela também se deve a essa limitação.
Depois ainda se fala em aproximações francas, talvez o fossem para os aviões da altura, a verdade é que hoje em dia nem permitem a instalação de um ILS convencional. Sobre o vento, será talvez esse o único ponto forte dessa localização, não deixando no entanto de haver algumas limitações e finalmente sobre a visibilidade a classificação de razoável não abona muito em favor da escolha.
Comparando com o Pico, não existem limitações à ampliação da pista, as entradas são "francas", de tal modo que se pode instalar um ILS convencional, o vento é o nosso calcanhar de Aquiles na localização actual, mas de referir que na altura o local ainda não estava escolhido um local que permitisse uma orientação da pista sensivelmente NE/SW reduziria significativamente esse problema e finalmente a visibilidade é boa.
Quanto ao entendimento político das forças da ilha, talvez possa ter facilitado o "roubo" mas não impediu que se fizesse uma pista assim que o governo se mostrou disponível.

Anónimo disse...

Para começar, o ILS está a ser ultrapassado pelo GLS,presumo que saiba.O vento não só é o calcanhar de aquiles, como limita toda a operação, o que não acontece com nenhum factor directo no aeroporto da Horta.As limitações de visibilidade...?diga-me quais são.
Para não falar do mercado, capacidade hoteleira, hospital em caso de acidente,...e por ai fora.

Rui Medeiros disse...

Falo do ILS porque exige aproximações sem obstáculos para a sua instalação e deste modo serve para ilustrar as melhores condições do Pico em relação ao que se refere como entradas francas no folheto. Logo onde há ILS's pode haver GLS, onde há GLS's pode não haver possibilidade de instalar um ILS.
Em relação ao vento, relembro que estamos a falar de história e existem locais onde a construção de uma pista no Pico não teria mais limitações de vento do que as que existem no Faial. Falando no presente, a coisa não é tão preta como a quer pintar.
Em relação à visibilidade, o aeroporto da Horta dispõe de aproximações por instrumentos que só permitem a aterragem com visibilidades acima dos 1600 metros e tectos de 600 pés para aeronaves de categoria B (ATP) e 2400 metros e 800 pés para categoria C (A320). As condições de visibilidade baixa tendem a acontecer com ventos do quadrante sul nos Açores. Isto ajuda a que as costas sul das Ilhas sejam mais afectadas por tectos baixos e nevoeiro porque quando a massa de ar é forçada a subir a ilha arrefece e condensa. Já aconteceu cancelarem voos à horta enquanto se aterrava no Pico, numa altura em que nem havia aproximação por instrumentos. Logo não estou a inventar que a visibilidade é geralmente melhor no Pico.
Finalmente gostava de saber que papel teve o mercado, a capacidade hoteleira e o hospital na decisão nos anos 60...

Anónimo disse...

O mercado esteve provalvelmente na mesma lógica de hoje, porque já na segunda grande guerra era na Horta que se fazia as ligações do continente Americano e Europa, ainda nem Santa Maria existia, isto para não irmos mais atrás para altura do regícidio e por ai fora.
Para concluir, já que tudo é muito mais favoravel no Pico gostaria de saber qual o motivo das diferenças de turismo nas duas ilhas.Continuem a investir nos jogadores de tenis de mesa, futebol, hoquei, e volei porque isso é que dá desenvolvimento ao Pico.Já agora, se não fosse o desporto qual a média de passageiros que existiriam no Pico.

ZÉ FAIAL disse...

O mercado é que decide,não a dimensão da pista.
O grande e moderno aeroporto de Mirabella no Canadá, já passou a parque temático, por falta de tráfego!!!!

Anónimo disse...

Ao Sr. Rui,
Se não há nevoeiro no Pico porque será que todos nós Açoreanos temos que suportar o investimento no ILS,(já em fim de vida) que apenas serve para aproximações com baixa visibilidade!!!!!!
Assim, a sua instalação devia ser no Aeroporto da Horta, que segundo o Sr. Rui,sofre de má visibilidade.

Rui Medeiros disse...

Eu vou dar-vos resposta hoje... talvez não devesse...
Qual mercado na época dos clippers? Passavam na Horta por necessidade técnica, e para amaragens, aí sim, não há melhor baía que a da Horta.
Engraçado falar em tirar os passageiros do desporto do Pico, já que o mais usual é viajarem pela horta...
Sobre o aeroporto de mirabella, que já foi mencionado neste blog algumas vezes no sentido de deitar a baixo o investimento no Pico, se pesquisarem um bocadinho é fácil descobrir que foi um investimento enorme numa aeroporto de dimensões nada comparáveis ao Pico e Faial, nem sequer é comparável com Lisboa, que não resultou devido, entre outros factores, à distancia a que se encontra do centro urbano que pretendia servir. Não é hoje um parque de diversões, é um aeroporto sub aproveitado que no entanto é sede de fábricas da Bombardier e plataforma logística de carga.
Finalmente, quem disse que não há nevoeiro no Pico? O que se disse foi que comparativamente as condições são melhores. Também se cancela por nevoeiro ao Pico e o ILS vêm acima de tudo requalificar o aeroporto que passa a possuir uma aproximação de precisão. O ILS é ainda hoje a ajuda à aterragem de precisão standard em todo o mundo, estão a emergir novas tecnologias sim senhor, mas o ILS está longe de estar ultrapassado.

artur xavier disse...

Tanta preocupação com os dinheiros públicos mal gastos... Alguma dor de cotovelo por, no desporto, terem sido ultrapassados...
Esta mentalidade feudal que continua bem enraízada nas cabeças de alguns iluminados...
Bolas! Nós, também, queremos e merecemos um lugar ao sol. Nós, também, somos filhos de Deus! Ou não será assim?

P.S.
Como foi possível constatar hoje, não é só no aeroporto do Pico que o cancelamento de voos acontece.

ZÉ FAIAL disse...

Cancelamentos acontecem em todos os aeroportos,mas o de hoje no Faial não teve a ver com o aeroporto,porque a SATA air Azores operou normalmente e a SATA Internacional não saiu de Lisboa!!!!

João disse...

A discussao entre Picarotos e o pessoal do Faial perde-se no meio de tanto argumento que não leva a que venham mais aviões.
O Triangulo tem de funcionar em conjunto senão não tira mais-valias para cada ilha individualmente.
Já agora, o Pico e o grupo em geral só terao mais voos/ligaçoes maritimas, quando houver uma associaçao de municipios/ilhas que defenda os verdadeiros interesses destas ilhas, na Europa é isso que já acontece há muito, e os fundos até sao atribuidos mais facilmente devido a isso. So haverao mais voos, quando os trabalhos forem dessenvolvidos em conjunto com essa tal associacao/unidadeshoteleiras/investidores/TAP/SATA/governo regional/outros...

e esta situação tem de ser alavancada pelos autracas do Pico! e apoiado pelas suas gente. mas, com pena minha, a noçao que dá é de que as gentes picarotas querem lá saber de se unir por uma causa destas?! era bom que isto mudasse

artur xavier disse...

Tenho de concordar com algumas afirmações de João! Em certo ponto, ele coloca a mão na ferida...
Por outro lado e a título de exemplo, o que aconteceu com os voos extraordinários, na época natalícia, não passou de uma tremenda injustiça. E isso doi e isso, quer queiramos quer não, provoca divisões. Inevitávelmente!

Atento disse...

A Tap veio justificar que não fez voos extraordinários em Dezembro para o Pico por causa do combustível. Então porque é que fez um voo extraordinário no dia 27de Janeiro terça-feira???? Por causa do bom dinheiro que ia ganhar com os atletas???????????, pois pagam mais que os residentes e estudantes.
Então é isso, só faz voos extra quando lhe convem por isso também fez no verão um voo à quinta em julho e agosto para chular os continentais.

Patriota d'uns actos disse...

A TAP fez um voo extraordinário para transportar os atletas, porque estes são mais magrinhos e assim não gastam muito combustível...

Two-Way Channel disse...

Já era de prever que a TAP usasse essa desculpa - da baixa de passageiros - para não fazer voos extras. O que há é desmontar esta teoria e quantificar os passageiros do Pico que utilizam outros aeroportos desnecessáriamente. Já aqui foi falada esta questão, mas não há ninguem que queira faze-lo. Há medo de afrontar o "status quo"? Quando há coragem para tomar a decisão de introduzir mais voos no
"contrato de serviço público"?

Se calhar, quando o fizerem, o "lobby" do Faial já obteve o que queria - sobretudo o aumento da sua pista... e torna-se mais difícil de justificar.Depois seremos culpados da nossa passividade.
Enquanto isso, passageiros do Pico! Tratem de engordar os números da Horta! Sobretudo, sem protesto nem passarem para a Comunicação social o seu descontentamento! Noutras paragens, já houve revoluções por menos...
A sério, agora: não fiquem à espera que "de fora" venham lutar por nós. Tratemos de manifestar o nosso descontamento, reclamar sempre (dêem uso aos Impressos de reclamação nas companhias e agências de viagem), fazer chegar a insatifação aos OCS e ao Governo Regional que se ufana duma grande obra - inacabada e sem continuidade! Areia para os olhos! Mas abram-nos, no interesse do nosso futuro!

Anónimo disse...

Bem, tenho que dizer que se sabe de algum sitio em que houve revoluções por menos , também gostaria de saber.Já agora tenho de dizer que quem acha que isso é motivo para revoluções , então estamos no meio não só de incoerência/ ignorancia democrática, mas mais grave, que será pensamento de prepotencia anarquica.

Padre... disse...

Não quero tirar partido por algo que não seja do interesse de São Jorge, mas o ultimo comentário parece justo e realista.O Pico com esses pensamentos e determinadas atitudes não pode mesmo ir longe...

artur xavier disse...

Nós já percebemos que tudo o que seja feito nas antigas capitais de distrito, é "bem" aceite pelas restantes parcelas do arquipélago. Foram muitos anos de regime feudal e, por isso, compreende-se esta aprovação, direi, tácita. Com tão pouca vivência autonómica, é "normal" ainda existir esta mentalidade das três ilhas "maiores" e das seis (mais) "pequenas", ou "restantes", ou, simplesmente, "ilhas"! Então se porventura calha em sorte algum pedacinho do bolo, que dê nas vistas, a umas destas "ilhas", é o cabo dos trabalhos. Caem o Carmo e a Trindade! Daí a posição de tantos Srs. e padres que preferem um maior desenvolvimento - neste caso - do Faial, em vez do da Ilha que lhe está mais próxima, que é o Pico. Esta é a realidade e contra factos, não há argumentos!
Revolução?! Não! Se bem que tudo isto ande a precisar de uma grande volta e de alguma lufada de ar fresco, não será motivo (ainda) para tanto. Revoltante?! Sim! Porque há coisas que mexem com os espíritos de alguns mais inconformados que, obstinadamente, recusam em manter-se de cócoras e em silêncio.

Padre... disse...

Sr. Artur Xavier, 2 dedos de bom senso não lhe ficavam mal, e a lufada de ar freco devia começar pelas vossas ideias;Continuam a achar que investir como loucos e sem orientação, no futebol e afins que é o melhor, e depois querem mais investimentos, santa paciencia!!!
Agora é a vez da Câmara da Madalena comprar a sede do clube local, para amortizar a divida, ISTO É QUE TEM SIDO O VOSSO INVESTIMENTO!!!...e depois lamentam-se?!?

ZE FAIAL disse...

Todos estamos empenhados no desenvolvimento de todas as nossas ilhas, o grande problema que existe e que tem feito correr tanta tinta, é a posição absurda de alguns picarotos, que querem, á força, retirar ao Faial o que temos para dividir pelo Pico!!
Deixem o Faial em paz e lutem pelo que pretendem!!!

Two-Way Channel disse...

Deixar o Faial em paz implicaria:

1 - Recolocar o Pico no contexto que lhe pertence e no lugar que lhe foi usurpado (como um dos possíveis exemplos, veja-se o que acima se conta da transferência do Aeroporto para a ilha vizinha). Este medida, por sua vez, ocasionaria:
a) Retirar milhares de doentes ao hospital da Horta, com a construção de um legítimo, gritante e natural no Pico;
b) Retirar milhares de Passageiros à Transmaçor que são obrigados a irem para o Hospital da Horta e apanhar os voos que não existem no Pico, movimento que (com melindre para alguém), está a ser substituído pelo de muitos faialenses que se deslocam ao Pico para fazer compras;
c) subsididiar os taxistas que vivem do transporte dos picoenses para o hospital e aeroporto e vice-versa;
d) encerrar alguns hoteis, restaurantes e bares que foram construídos na mira (e até agora, utilização) dos viajantes de e para o Pico que não tem alternativa senão entrar e sair pelo Faial;
e) poupar dinheiro na construção da Gare marítima da Horta, que já não se justificaria tão grande e dispendiosa;
f) parar-se com a idiotice (porque muito cara) do aumento da pista do Faial.

2 - Redimensionar os projectos de desenvolvimento, não em função da História, que foi madrasta para o Pico, e reduzi-los à realidade do potencial de cada ilha;

3 - Como vê, há mais receios do lado da Espalamaca e Monte Carneiro do que do lado dos Ilhéus.
Pois que, ao fazer-se justiça equilibrando a balança, que sempre pendeu para o lado da ilha pequenina, perder-se-iam antigas e injustas benesses e intemporal usufruto das mesmas.

Luis disse...

Mas muito do que o Faial tem depende também do Pico, tal como o Pico precisa do Faial. O que está em causa é a igualdade de oportunidades pois durante muitos anos todos os do Pico que queriam resolver a sua vida tinham de ir ao Faial, enquanto que o inverso nunca acontecia. E agora quando começam a acontecer o contrario começam a dizer que os querem roubar!!!!! O Pico e que foi durante muitos anos
E esses de São Jorge que vêm dizer tolices antes tivessem calados, pois foi feito um investimento e deve ser rentabilizado

PAI disse...

Também queremos um Hospital em São Jorge!
Também queremos vôos directos para Lisboa em São Jorge!
Não somos menos açoreanos que os Faiais e Picarotos!
Ou há moralidade ou comem todos!!!

ZÉ FAIAL disse...

Esta de o atraso do Pico ser culpa do Faial já está gasta!!
A propósito aonde é que vão construir o Hospital? Será na Madalena ou em São Roque? Talvez nas Lages!!!!!!

O PADRINHO disse...

Só quem é inconsciente pode afirmar que é idiotice aumentar uma pista com apenas 1600 metros e que serve, em serviço público, aeronaves do tipo Airbus 320.
Felizmente que o poder de decisão não está nas mãos destes imbecis!!!

Padre... disse...

Sem duvídas que não tenho preferência entre Pico ou Faial, mas as gentes do Faial tem uma visão diferente, e como tal, se o Pico mantem os mesmos pensamentos e atitudes, sem duvida que o faial será muito melhor parceiro para o desenvolvimento.

Picaroto disse...

AHAHAHAH! Quer dizer, ou nos calamos como de costume e aí somos fixes mas tiram-nos tudo o que podem, ou fazemos barulho mas nesse caso somos uns bairristas imbecis!!!
Sim senhor, juntamo-nos todos num triângulo mas depois vão pá BTL dizer que para aqui se chegar só nos voos para o Faial. Com amigos destes quem precisa de inimigos? Diz-se que a pista ficou curta e levamos logo na cabeça, mas aparentemente deixar ficar quase o mesmo cumprimento no faial para as mesmas aeronaves é que não!!
Não somos nós que vimos para aqui com falinhas mansas dizer que nos associamos a uns pk os outros são melhores ou piores. Nós defendemos o que é nosso para não nos lixarem (para não dizer mais forte) como é costume. Quem vem para aqui criar guerras bairristas não são os Picarotos. Deixem-se de tretas e pseudo moralismos quando são vocês que querem manter uma guerra aberta. Nós somos pelo triângulo, nós somos pelos Açores, mas para isso não podemos deixar de ser pelo Pico primeiro. Não nos lixem.

Anónimo disse...

em sao jorge daqui para a frente só constroem lares de idosos...

Padre... disse...

Antes lares de idosos do que fortunas em equipas de futebol e por ai fora...

Realista disse...

"Mas propósito aonde é que vão construir o Hospital? Será na Madalena ou em São Roque? Talvez nas Lages!!!!!!"

Mesmo qu seja na Ponta do Pico, na Piedade, Santo Amaro, São Caetano, ou em qualquer sitio do Pico, se tivessem pensando na altura na construçao no unico sitio no lugar de tres "coisas sm jeito nenhum" talvez a história tivesse tido outro desfecho, mas por culpa dos 3concelhos estamos nesta situaçao por isso o ze faial neste aspcto tem razão. Mas as mentalidades agora são outras nao abstante ainda de haver certas coisas que estão erradas.

Anónimo disse...

Esta velha história dos 3 concelhos já está mais que gasta e foi usada "antigamente" com a intenção de "dividir para reinar".
Parem com esse argumento estafado! (O pior é que pegou como desculpa para o outro lado do canal avançar, a pretexto de ter 1 só concelho: como se isso impedisse alguma coisa!)
Já agora porque diabo é para aqui chamada a questão dos subsídios ao desporto na Madalena? Impede porventura o desenvolvimento do Pico e o crescimento do movimento aéreo? Tanta tolice!

Anónimo disse...

Ah!
Os dois concelhos de S. Jorge também impedem o progresso dessa ilha, não é?

Anónimo disse...

Sou jorgense, mas por favor há cada anonimo Jorgense, a fazer intervenções sem lógica nenhuma, por favor estejam calados, para nosso bem.Pensem 2 vezes no que dizem.

artur xavier disse...

O voo da TAP de hoje, com destino ao Faial, acabou por aterrar na Terceira, devido à falta de visibilidade no aeroporto de Castelo Branco. Regressou a Lisboa, deixando em terra os passageiros que pretendiam viajar para a capital.
Ao que julgo saber, o aeroporto do Pico esteve operacional. Certo?!
Agora pergunto: Não teria sido viável a transportadora nacional ter derivado para esta Ilha, em alternativa àquela onde, pelas razões apontadas, não era possível operar?!
Como será amanhã, sábado?! Será que a TAP volta ao Faial? Será que os passageiros (Dependendo do número)serão "obrigados" a atravessar o canal, para embarcarem no Pico?!...
Poderão alguns julgar que estas questões não fazem qualquer sentido, mas elas são colocadas e dirigidas, de um modo particular, àqueles que, neste espaço, tanto têm manifestado a sua preocupação com o esbanjar dos dinheiros públicos.

Rui Medeiros disse...

Amanhã já está programado um voo extra de Lisboa para a Horta de modo a regularizar a situação.
O aeroporto do Pico poderia ter sido utilizado, ou seja, durante a manhã mantiveram-se condições visuais no canal Pico S. Jorge mas existem, neste momento, vários factores que podem levar a que o Pico não seja considerado um alternante à Horta:
Não há combustível, não há aproximação por instrumentos (o VOR da Horta está fora de serviço já lá vai mais de um mês e a aproximação por NDB ao Pico requer que a parte DME desse VOR esteja operacional) e o aeroporto fecha no horário de almoço se não houver um pedido para que se mantenha aberto com 2 horas de antecedência.

Anónimo disse...

Penso que a razão principal que inviabiliza a operação da TAP no Pico,quando não pode aterrar no Faial, é a inexistência de Catering no Pico!!!

Anónimo disse...

Catering acho que não é razão porque muitas vezes o voo LIS-HRT-LIS, ja tras comida para o voo de regresso...

Anónimo disse...

Só na SATA INTERNACIONAL

Anónimo disse...

O catering não é, o combustível mais caro não é, se necessário mais capacidade hoteleira não é, o vento sul não é, a falta de passageiros para ter mais voos não é, então o que será que afasta mais operações no Pico???

artur xavier disse...

O comentário deste último anónimo... enfim! Cada um dá o que tem e a mais não é obrigado, mas sempre lhe vou dizer aquilo que penso: O que "afasta mais operações do Pico", são as políticas de quem nos (des)governa! É o apregoar de um desenvolvimento harmónico das nove ilhas dos Açores e, na prática, continuar a proteger as Ilhas antigas capitais de Distrito, de forma tão acintosa que mete nojo e toca as raias da revolta!
Caramba, será assim tão difícil fazermos o simples exercício de nos colocar no lugar dos outros?! No lugar daqueles que algumas forças sonham ser possível continuar a menosprezar e diminuír!? Tirem o cavalinho da chuva, pois atrás do tempo, tempo vem!... E depois vêm estes arautos da desgraça alheia, vomitar as suas baboseiras sem, no mínimo, terem a coragem (Para não dizer outra coisa!) e a decência de dar a cara.
Como dizia o meu primo Raúl Ferreira: "São uns fracos!".

Anónimo disse...

Preocupem se convosco, com os vossos voos e com o vosso aeroporto, e deixem o Faial em paz.
Admiro que que queiram reivindicar melhores condições na vossa ilha no entanto não esperem que os Faialenses abdiquem do que já têm para que para que os nossos vizinhos fiquem contentes. Sejam coerentes e admitam que se fosse o contrário também não o fariam.
Na minha opinião as 3 ilhas do triângulo deveriam tirar partido da sua proximidade e complementarem se em vez de tentarem "roubar" o que os outros já têm. conquistem novas valências que valorizem a vossa ilha.

Anónimo disse...

Começo a pensar que, se á 50 anos o Pico era a ilha do futuro e ainda continua a ser, a culpa deverá ser de quem lá vive por não ter tido capacidade para fazer mais e melhor.Por isso não podem por a culpa nos outros.E não tenham duvida, quanto mais birra fizerem menos vão ter.

Anónimo disse...

Este último comentário está ferido de contradição: então o Pico continua a ser a Ilha do Futuro porque não fizeram nada, mas agora se fizerem birra menos têm?!?!?!
Afinal o que fazer? Se nada, nada vem; se alguma coisa, nada dão...

artur xavier disse...

Alguns comentários, para além de virem carregados de contradições, contêm, também, muitas incoerências.
Se nos voos destinados ao Faial, viajam muitos passageiros do Pico, - ninguém contesta esta realidade, pois não!? -, quando os responsáveis decidirem aumentar (?) o número de ligações para esta Ilha, lógicamente que para o Faial o seu número terá de ser diminuído. Não vejam esta realidade como uma catástrofe nem como um retirar de previlégios. Muito menos uma ameaça! Porquê, então, tantos receios e inquietações?! Por terem "medo" de atravessar o canal? Vá lá, mostrem que são tão afoitos como nós, que o temos atravessado, desde sempre, ainda que bastas vezes "chamando pelo gregório"! Porque não, se somos todos iguais?!...
Por mais voltas que se tentem dar, 2 + 2, serão sempre = a 4.
Pico, Ilha do futuro?... Eu diria, Pico - Nossa Ilha Maior, cada vez mais do Presente! Por direito próprio, porque merece e porque é digna disso.

TAPeiro disse...

A TAP vai fazer mais voos para o Pico.
Mas primeiro vão realizar uma reunião como todos os viajantes do Pico para verem a que horas e a que dias dá mais jeito os picorotos voarem, para depois se poder justificar mais voos.

Haverá portanto dois voos por dia:
Para os que gostarem de sair cedo do Pico e chegar tarde a Lisboa haverá um voo que ficará algumas horas às voltas no ar a fazer tempo para chegar a Lisboa.

Para aqueles que gostam de sair tarde e chegar cedo a TAP vai colocar o Concorde novamente a voar para servir essa rota. (Daqui a algum tempo haverá a alternativa do TGV)


Enfim... o Pico não se justifica por si...querem à força, portanto, justificar o Pico.
Aproveitem para pedir também mais uns voos para Ponta Delgada, ou os vossos passageiros só voam para a metropole?

TAPeiro disse...

Abram o aeroporto à hora de almoço para o TAP ir almoçar com o pessoal do Pico para todos ficarem contentes!

Havia um comentador que dizia aqui que deixar o Faial quieto implicava uma série de contras para o Faial. Pois é... e os Picarotos morriam doentes e à fome fechados na sua ilha que tão boas condições lhes dá! Ao menos os filhos dos picarotos iam nascer no Pico! Deve ser o único ponto positivo

Defensor nº 1 disse...

Citação de anónimo:

"Admiro que queiram reivindicar melhores condições na vossa ilha no entanto não esperem que os Faialenses abdiquem do que já têm para que para que os nossos vizinhos fiquem contentes"

Pois teriam que abdicar se politicamente fossem tomadas decisões que invertessem o estatuto que têm tido de "1ª ilha do triângulo" e "Ex-capital de Distrito" - tais como estipuladas mais ligações nas obrigações de serviço público de transporte aéreo - mesmo retirando do Faial o equivalente em voos aos passageiros do Pico que os ocupam, e fosse construído um hospital decente nesta ilha do Pico que tem muitas mais "pernas para andar" - assim lhas não queiram continuar a quebrar...

Continuo a afirmar: o canal tem dois sentidos...

Porquê servir somente a população do Faial não só nos voos para Lisboa, mas na falta de melhores Ligações a S. Miguel, na falta do hospital (alguém ainda se lembra da promessa da maternidade para eleitor votar?)que provoca o uso involuntário do Aeroporto, Porto e serviços da ilha pequenina, sendo os seus habitantes forçados a contribuir involuntariamente para fazer crescer uma terra que sempre foi má vizinha, visto que muito do desenvolvimento do Faial foi subtraído ao Pico, por força das decisões políticas de antanho e do estatuto de "capital". O tempo de encarregará de repor a justiça, mas nós, que vivemos esta época, gostaríamos de não esperar tanto se devido a bizarria de quem promove uns e despreza outros!

win-loser's situacionistas disse...

É tão demagógico e obtuso pensar que o Faial apenas se desenvolveu à custa do Pico como acreditar que o Pico só se irá desenvolver à custa do Faial.

Anónimo disse...

Um pouco de água na fervura.
Porventura já pensaram que o Faial está mais desenvolvido que o Pico graças aos Picarotos que vieram trabalhar para o Faial?
Assim sendo, podemos afirmar que estas duas ilhas são dos faialenses e dos picarotos.

Defensor nº 1 disse...

Pois é, mas há uns que comeram da comida fina,e outros que ficaram com as migalhas!
É para se equilibrar a balança que lutamos!
O problema é que são poucos a lutar, dado que a tradição era apanhar as sobras da mesa dos ricos (entenda-se: "senhores" do Faial), e há quem pense que é uma fatalidade até ao fim dos tempos! Ou o comodismo/medo de afrontar os poderes e lobbies fala mais alto!!!

Anónimo disse...

"Um avião comercial despenhou-se, na noite de quinta-feira, sobre uma casa perto do aeroporto de Buffalo, no norte do Estado de Nova Iorque, causando 49 mortes, 48 a bordo (44 passageiros e quatro elementos da tripulação) e uma em terra, informou a polícia local".
"O avião era um Bombardier Q400, um bimotor turbo com capacidade para 74 pessoas." in http://diario.iol.pt/internacional/buffalo-nova-iorque-acidente-aviao-aeroporto-casa/1042358-4073.html

Luis F disse...

Boas Novidades!!!!!!! Parece que desta vez a Tap deu ouvidos ao descontentamento dos picarotos relativo a inexistência de qualquer voo extra no Natal. Digo isto porque acabei de ver os horários de verão e a época de Páscoa e notei que existem dois voos extra na Páscoa a 2 (5.ª feira) e 14 (3.ª feira)de Abril no mesmo horário do voo actual!!
LIS-PIX 09:15 11:10
PIX-TER-LIS 11:55 16:40
Apesar de não serem os melhores dias é uma melhoria. Mas ainda irão dizer que não se justifica mais voos pois a taxa de ocupação pode ser reduzida...
Quanto aos extra do verão estão previstos 6, todos a uma quinta-feira. Nos dias dias 31 Julho ; 6,13,20,27 de Agosto
LIS-PIX 07:05 09:00
PIX-TER-LIS 09:40 14:25
e a 3 de Setembro
LIS-PIX 09:15 11:10
PIX-TER-LIS 11:55 16:40