06 junho 2008

O que se passa com o ILS?

O anúncio do concurso público para o fornecimento e instalação do ILS no aeroporto do Pico já têm um ano e em Outubro do ano passado foi anunciado pelo Presidente do Governo Regional que o mesmo estaria instalado dentro de três meses. O tempo passa e nem há sinal das antenas deste sistema e como Portugal tem um historial de grandes atrasos na instalação de ILSs, caso de Ponta Delgada e Faro, está na altura de perguntar o que se passa com a instalação do ILS no Pico?

27 comentários:

Anónimo disse...

Como o ILS não faz falta, não há necessidade de celeridade no processo de instalação.É um investimento completamente desnecessário, visto que o grande problema do Pico vai continuar a ser o vento Sul.Mais um dos gastos que se poderia evitar.

Urso Pardo disse...

Ontem, andaram a fazer um inquérito no terminal de passageiros no Faial, vocês sabem alguma coisa sobre isso?
Parece que a pergunta tinha a ver com os voos da Tap...
O Pico ganhou 10-0.

Cardeal disse...

Sr. urso, com afirmações dessas vê-se mesmo que se trata de um animal irracional, na medida em que nem sabe ao certo qual o tema do inquérito mas sabe que o Pico ganhou 10-0. Pelo amor de Deus, seja mais sensato e tente saber melhor do que fala antes de dizer disparates.

Two-Way Channel disse...

O que se passa também com os combustíveis no Aeroporto do Pico? Junho é a data prometida para o início do fornecimento, mas o já vamos a 1/3 do mês e nada aparece?
Será a 31 de Junho?
O ILS adormeceu, segundo me consta.
Anda muita gente a dormir a respeito desta ligação a Lisboa.
E porque não toma o Conselho de Ilha do Pico a responsabilidade do tal inquérito que iria definir o número real de passageiros do Faial e do Pico?

Anónimo disse...

A respeito do inquérito no aeroporto da Horta de que fala o Urso (safa!) oxalá que a boa vontade não dê em nada, tal como não deu a petição de 900 e tal assinaturas sobre o Voo TAP que foi pelo esgoto abaixo. Não se deve brincar com boas intenções e envolver uma entidade credível no assunto, para não acontecer o mesmo

Paulo Pereira disse...

Ó Rui, diga-me lá se eu percebi bem.
Estamos sem ILS, sem combustível e sem luz?
Nem parece ano de eleições.

Cardeal disse...

Agora é que o Paulo Pereira falou bem, nem parece ano de eleições. Será que os Picoenses vão continuar a votar neste governo? É possível até porque foi devido a promessas eleitorais que conseguiram o elefante branco que é nesta altura o Aeroporto do Pico. Ó Sr. César veja lá se não se descuida com o ILS e o combustível pois pode arriscar-se a perder as eleições no Pico, ou será que isso já não lhe interessa? E já agora mande também instalar qualquer coisa no aeroporto que o proteja do vento, sempre era um investimento que dava jeito, ao contrário dos outros.

Rui Medeiros disse...

Sr. Paulo, não será bem assim, mas quase.
As luzes já aparecem em todas as publicações aeronáuticas onde o Pico vem referido, mas ainda não consegui apurar se é obrigatório, devido há falta de uma SID, que um operador comercial crie os seus próprios procedimentos antes de puder voar para o Pico de noite, mas tudo indica que a última desculpa da SATA quando foi preciso fazer um voo nocturno é verdadeira. Falta assim saber se eles já têm esses procedimentos.
Quanto ao combustível, pelo que sei o processo está em andamento, não será uma surpresa se acontecerem atrasos, mas a coisa não deve estar tão má como com o ILS, pois desde que acabaram as obras de terraplanagem e foi anunciada a conclusão da sua instalação em três meses, não se viu mais nada.

Anónimo disse...

Tambem nao vale a pena tererm mais condicoes nem investimentos, se nao tem voos, e muito menos passageiros.
Ja agora pelo que sei nao vai ser finalizado o ILS antes de 2010.O combustivel pouco interessa porque sera raro o aviao que vai reabastecer no Pico.
Mas falta sempre o pincipal ,que mexe com tudo.PASSAGEIROS!!!

Anónimo disse...

Sempre os detractores do Pico a afirmarem que não temos passageiros, quando mais de 1/3 dos passageiros que o Faial tem são do Pico. Já não há paciência!

Anónimo disse...

Gostaria de saber onde está a estatística que pode afirmar 1/3.
Já agora mais uma voo da Sata que hoje veio do Pico para o Faial, mas já começa a ser normal...

hitman disse...

Que diabo, o voo ainda mal chegou e já estão a pegar com isso?
Veja bem que isso só nos dá razão, quando há necessidade de cancelar um voo, muda-se logo para a Horta, tal é a facilidade com que tal acontece, já estão todos habituados e até se prefere assim para se chegar a casa no mesmo dia, mas é ao contrário de todas as outras ilhas, para onde quando há cancelamentos, se faz voos extraordinários no dia seguinte.
Ah, e esqueceu-se de referir que a TAP tb não aterrou no Faial Hoje. Mas também já começa a ser normal…

Anónimo disse...

Chuva...pista enjarcada...a do pico tem bom escoamento devia ter ido para lá.

ze disse...

Vamos fazer uma experiência... move-se o pessoal do Faial 2 semanas para o Pico e vice-versa. Os aeroportos mantêem-se. Depois conversamos... Vamos ver quem é que começa a pedir mais voos...

Paulo Pereira disse...

É preciso ter mesmo muito descaramento e falta de pudor, para não dizer outra coisa. No próprio dia em que a TAP não aterra no Faial, acusa o aeroporto do Pico do cancelamento de um voo da SATA.
E o regabofe continua nas estatísticas, divulgando sistematicamente as que interessam e omitindo as inconvenientes.
Caro senhor, não foi só hoje que a SATA foi desviada para o Faial. A SATA, assim como a TAP, são desviadas todos os dias do Pico, causando inconvenientes e prejuízos aos utentes.
Só que a verdadeira desculpa raramente é o vento. Ou a falta de passageiros, que o digam as lanchas do Pico.
Adivinhe qual é. Dou-lhe uma pista: branco é galinha o põe.

joao pedro disse...

Esta dificil de perceberem as vossas limitacoes em todos os aspectos, quer operacionais , falta alojamento, falta de passageiros, falta de hospitais, falta de pessoal dos bombeiros devidamente preparados, falta de controlo local,...enfim daqui a 20 anos continuarao a ser a ilha do futuro porque nem entre as 3 vilas nao se entendem.

Anónimo disse...

O Joao tem razao, mas e ja agora a TAP nao aterrou mas foi para Lisboa, no Pico quando nao aterra vem para o Faial,...

Anónimo disse...

As limitações do aeroporto do Pico estão altamente sobrevalorizadas, mas independentemente disso o Sr. João está a fazer pelo menos uma acusação grave que tem de ser reportada se é verdadeira, pois no AIP a categoria de serviço de bombeiros é igual à do Faial.

Two-Way Channel disse...

Esta do "João Pedro" é cantiga que já anda desafinada há muitos anos, e pior, com acusações gratuitas e falsas. Se não há infra-estrutruas é porque os poderes preferiram valorizar as ex-capitais de distrito, embora sedeadas em quase-ilhéus. Não quer dizer que tenha sida a deecisão mais justa! A dituação irá mudar em breve, e mais quando forem dadas as mesmas oportunidades ao Pico, e não houver "sanguessugas" a beberem do nosso "sangue". Creio que entende assim...
Ah, e o terço de passageiros vai ser comprovado na estatística real que um dia irá surgir!...

Anónimo disse...

No AIP LPPI/LPHR AD 2.6, além da categoria do aeroporto, ainda existem os pontos, 2, 3 e 4 e nesses existem diferenças importantes. Já agora podemos perguntar onde está o Hospital?(que também faz referência que existe,no AIP, mas o mais proximo fica na Horta)

Anónimo disse...

LPHR
1 AD category for fire fighting CAT 5
CAT 6 - Available by prior arrangements with Airport Director
2
Rescue equipment - In accordance with CAT 6 requirements established in the Table
5.2 of ICAO DOC.9137-AN/898 Part I.
- KIT TIRFOR embarqued in a Crash Tender Vehicle.
- RIB with 8 life rafts for 8 pax’s each, 1 medical first aid KIT, 4 adult
life jackets.
3 Capability for removal of disabled aircraft High stability pneumatic lifting bags
4 Remarks NIL


LPPI
1 AD category for fire fighting Within AD HR: - CAT 5
CAT 6 to CAT 8 - Available by prior arrangements with Airport Director
2 Rescue equipment - In accordance with requirements established in the Table 5.2 of ICAO
DOC.9137-AN/898 Part I.
3 Capability for removal of disabled aircraft NIL
4 Remarks NIL

São diferenças com certeza, assim tão importantes já não sei. E tb não sei o que têm a ver com falta de condições no Pico, afinal cumpre-se com os requesitos ICAO até de CAT 8 se for necessário e o equipamento na tal tabela 5.2 do doc 9137 aumenta com a categoria... De ter ainda em conta que na Horta ambas as aproximações finais são sobre a àgua, e gostava de saber que conforto lhe dão as 8 balsas com capacidade para 64 passageiros no total, quando o maior avião que lá opera leva 156... No Pico ambas as pistas têm pelo menos 2,5 km da final já por cima de terra.
Quanto ao Hospital, estão a referir-se ao centro de saúde, tal como no AIP de Santa Maria o fazem, num aeroporto que recebe com alguma regularidade 747's... Parece que essa questão é mais importante para si do que para a ICAO.

Anónimo disse...

Bem...8 balsas sempre e melhor que não ter nenhuma, KIT TIRFOR embarqued in a Crash Tender Vehicle,para quem sabe o que é na realidade sabe a sua importancia.

Anónimo disse...

Já agora esquecimede de dizer, a aeronave que mais vezes opera na Horta é o ATP, logo para esse tipo de aeronave está coberta a necessidade de 64 lugares nas balsas de salvamento.

Anónimo disse...

http://www.brtfireandrescue.com.au/
tirfor_winching.htm

Anónimo disse...

Sobe que agora o sistema que vai começar a ser utilizado é o gls, e como o ils que querem instalar no Pico já está ultrapassado, por isso, já não vai ser utlizado.

Anónimo disse...

O ILS pode ser velhinho mas não está ainda ultrapassado.
As novas aproximações por GPS igualam e superam as suas capacidades, mas essas ainda não sairam do Papel. As que já existem têm minimos mais altos.

Anónimo disse...

O GLS já há muito que saiu do papel
e até os últimos aviões que saem de fábrica já vêem equipados com GLS.