28 maio 2008

Tarifas promocionais entram em vigor

Já entraram em vigor as tarifas promocionais para residentes e estudantes nos voos entre os Açores e o Continente ou Madeira, previstas na última revisão ás condições de serviço público. Estão assim disponíveis 10% dos lugares de cada rota com descontos até 30%, o que equivale a bilhetes desde pouco mais que 187 euros para residentes. Tal como seria de esperar, estas tarifas estão sujeitas a restrições que incluem penalizações por alteração das datas da viagem e não são reembolsáveis. Outro problema que se levanta a quem pretender usufruir destas tarifas, será a disponibilidade de lugares afectos a estas tarifas nos dias em que se pretende viajar, uma vez que a sua distribuição está incumbida à transportadora e é de prever que não estejam disponíveis nas épocas de maior procura.
O aparecimento destas tarifas pode abrir os olhos dos Açorianos a uma das desvantagens de uma liberalização completa, uma vez que vem trazer restrições a que não estão habituados se quiserem usufruir dos preços mais baixos. Deste modo, podem ver-se obrigados a recorrer à tarifa normal para que o bilhete responda às suas necessidades, tarifa normal esta, que num espaço liberalizado não se ficaria pelo preço da tarifa de residente em vigor…

21 maio 2008

Quem são os passageiros do aeroporto da Horta?

Já aqui uma vez escrevi a incentivar as pessoas a voar pelo Pico e nessa altura fui acusado de estar a incentivar o boicote ao aeroporto do Horta. Ora, essa não é a minha intenção, mas a verdade é que se não somos nós a tentar defender a nossa ilha, não são os outros que o vão fazer. Assim, não é porque a defesa do Pico, na tentativa de ajudar o desenvolvimento do seu aeroporto, implica confrontar alguns interesses dos Faialenses, que não o devemos fazer.

Quem tem poderes de decisão nesta matéria só fala nos números, então o que precisamos fazer é mostrar os verdadeiros números a estas pessoas. E como é que fazemos isso? Primeiro, pensei que se todos nós fizéssemos um esforço por voar pelo Pico, mesmo nos dias em que são precisas escalas de algumas horas na Terceira ou S. Miguel, os tais números acabariam por aparecer. Mas tenho que compreender que nem toda a gente pode fazer alguns destes esforços, ainda por cima com agravantes como:

-Escalas da SATA que nem sempre servem o Pico (É quase sempre mais fácil utilizar o aeroporto da Horta se o destino não for Terceira ou Ponta delgada);

-Preços da TAP que para não residentes chegam a ser 100 euros (ou mais) mais caros para quem se aventura a pedir um voo pelo Pico (em relação a um voo no mesmo dia para o Faial);

-Horários que são alterados para o fim de semana, como pedido, mas, para não cantarmos vitória, a uma hora pouco habitual, que pode mais uma vez condicionar a utilização do voo;

-Apenas um voo semanal para Lisboa.

Assim, a realidade é que muita gente continua a ver-se forçada a utilizar o aeroporto da Horta, na sua maioria por limitações nos serviços oferecidos pelo aeroporto do Pico. Como ninguém anda a facilitar que se voe pelo Pico, está na altura de virar a frente de batalha para outro lado. É preciso saber quantos passageiros saem do Pico, por via marítima, com o intuito de apanhar uma ligação aérea no Faial no mesmo dia e quantos chegam ao Pico, por via marítima, tendo chegado por via aérea ao Faial no mesmo dia. Já não são poucas as vozes que pedem um estudo deste tipo e junto-me a elas, porque, depois de estar no papel o que realmente se passa, já não há volta a dar e as pessoas terão de lidar com este assunto doa a quem doer. Seja aos Picarotos, caso se prove que não há razões para termos mais voos, seja aos Faialenses, caso se prove que o seu aeroporto é utilizado, numa escala significativa, por passageiros provenientes do Pico ou com destino ao Pico, sendo de esperar uma redistribuição dos voos.

Todos querem um triângulo mais próximo e unido, mas também torcem o nariz quando é a sua vez de ceder nalgum ponto. Uma dinamização do aeroporto do Pico é benéfica para o conceito do triângulo coeso e próximo, com claras vantagens para a promoção turística desta parte do arquipélago. Será assim tão difícil aceitar a mudança de alguns voos?

Mas atenção, para os mais ferrenhos convém esclarecer que não tenho nada contra o aeroporto da Horta, é muito bom que ele exista e nos tenha servido, ao triângulo, por todos estes anos. Além do Faial, a sua existência beneficia em muito a Ilha do Pico, não há qualquer dúvida nisso, mas os tempos mudam, o Pico tem agora o seu próprio aeroporto, contudo há uma incrível resistência à mudança. Não queremos de modo algum prejudicar o Faial, mas queremos evoluir, e para isso temos de mexer em parte do que se passa no aeroporto da Horta, porque parte do que se passa no aeroporto da Horta é do Pico ou para o Pico. E é preciso quantificar quanto é que é esta parte. Não nos queremos divorciar do Faial, é do interesse de todos nós que os dois aeroportos funcionem em harmonia, complementando-se, mas não podemos ser complacentes com as coisas como estão, pois acredito que estamos a ser bastante prejudicados para que se mantenham interesses há muito instalados.

Assim queremos saber quem são os passageiros do aeroporto da Horta!

19 maio 2008

Novos aviões para a FAP

Já voam os primeiros CASA C-295M que vêm substituir os CASA C-212 actualmente ao serviço da Força Aérea Portuguesa. Aqui está a foto da segunda aeronave a sair da fábrica, que fez hoje o seu primeiro voo: http://www.aviationcorner.net/show_photo.asp?id=67886

15 maio 2008

Voo para Lisboa passa para a tarde de sábado

A alteração do voo da TAP para o Pico finalmente aparece nos sites de reservas online e como já tinha sido previsto, passou para o sábado, com partida de Lisboa ás 14:50 e chegada ao Pico pelas 16:40. O voo de regresso sai às 17:25 e chega a Lisboa às 22:05, sempre com passagem pela Terceira.