17 dezembro 2006

Luzes fantasma

Com a chegada do Natal chegaram também as viagens dos estudantes para passarem a quadra com as suas famílias, mas desta vez um sistema frontal com depressão associada decidiu complicar os nossos planos.
No sábado dia 16 de Dezembro, cancelaram 2 dos 3 voos Lisboa - Horta e um Ponta Delgada - Pico por razões meteorológicas, mas o que me leva a escrever estas linhas foi o outro cancelamento do voo Terceira - Pico que se deu por outros motivos mais difíceis de esclarecer.
A minha viagem começou em Lisboa, onde apanhei o voo S4121 com destino a Ponta Delgada. Embarcamos dentro do horário, mas quando chegamos ao avião foi-nos informado que um problema com as bagagens no aeroporto atrasaria a nossa saída, e acabámos por sair 1 hora e 30 minutos depois do horário previsto, e mesmo assim com falta de algumas bagagens, incluindo a minha. Já estava a ver que ia perder a ligação ao Pico, mas esse voo atrasou também cerca de 1 hora e meia enquanto esperava melhoria na visibilidade, e assim não tive problemas em chegar a tempo.
Uma vez embarcados no ATP e com os motores já em marcha, eis que surge uma pequena avaria que obrigou à mudança de uma peça, e lá tivemos que voltar ao terminal por mais uns 15 minutos. Mas a espera ainda não tinha acabado, pois um passageiro com destino Terceira só apareceu passados outros 15 minutos enquanto todos os outros esperavam por ele no autocarro. Embarcamos de novo e saímos para a Terceira, pois o voo SP472 faz lá escala.
Até aqui tudo bem pois os atrasos verificados por causa da meteorologia, avarias e passageiros que têm a mania que são os maiores e os outros todos que esperem por eles, são coisas de força maior que não são fáceis de remediar.
Ao chegar à Terceira saímos mais uma vez do avião e já se ouviam rumores de que não íamos ao Pico, mas no fim de contas lá nos chamaram para o embarque passados apenas 5 minutos. Mais uma vez embarcamos mas após a contagem dos passageiros verificou-se que faltavam 12, retidos algures na aerogare, pois apesar de o voo estar bastante atrasado, a chamada de embarque só foi feita tardiamente já depois de estarmos no chão. E com isto tudo estava quase de noite e, pasme-se, a pista do Pico não tem luzes, toca portanto a desembarcar outra vez, e agora já sabendo que teríamos de passar a noite na Terceira.
Pois é, a pista do Pico não tem luzes… Elas de facto estão lá, e funcionam, mas no papel não existem porque o INAC ainda não as certificou e sabe-se lá para quando o vai fazer. Assim legalmente não se pode vir ao Pico depois do por do sol! Mas que grande investimento este no sistema luminoso de última geração!
Numa situação idêntica está as Flores, que também tem luzes não certificadas pelo INAC, situação que já foi alvo de criticas do Governo Regional à ANA, por esta não ter ainda pedido o seu processo de certificação. E o que dizer do caso do Pico? As luzes já existem há bastante tempo, o aeroporto é do Governo Regional, concessionado à SATA Gestão de Aeródromos, porque é que as luzes ainda não estão certificadas?
Mas a nossa aventura ainda não tinha acabado! Após uma noite com tudo pago na Terceira chegamos ao aeroporto para descobrir que os nomes dos passageiros que estavam em trânsito de S. Miguel no dia anterior não constam da lista de passageiros para o voo extraordinário e ficamos em lista de espera. Após mais um atraso de uma hora só nos aceitam nos últimos minutos, e mesmo assim não a todos. Ainda ficaram alguns atrás, talvez esperando as operações conseguir acomodá-los no voo das 15. O problema é que com o tempo ainda pouco famoso os atrasos vão-se acumulando, e quando o avião que faria esse voo chegou à Terceira já era mais uma vez tarde de mais para chegar ao Pico antes do por do sol e o voo foi cancelado. O transtorno para os passageiros é enorme, e os custos para a SATA também não são desprezáveis. O que aconteceu este fim de semana não é um caso pontual, no Inverno o mau tempo é frequente e os dias curtos, então porquê o atraso na certificação das luzes?

11 comentários:

Ana Rita disse...

Esta é uma das situações em que eu ficaria capaz de matar alguém.

Filipe disse...

Eu estava lá e confirmo tudo
Só faltou dizer q o passageiro por quem esperamos em s miguel era o exmo. sr. Serginho!!!!

Anónimo disse...

A ser verdadeira a historia das luzes é no minimo caricata. Só mesmo num pais como o nosso e especial um regiao autonoma.

Boas festas e parabens pelo seu blog

Anónimo disse...

LPPI - PICO
- DEPENDING ON TRAFFIC CONDITIONS, A CLEARANCE MAY BE ISSUED BY HORTA
APPROACH FOR TRAFFIC TO PROCEED TO SOLGI, AFTER CARRYING A MISSED
APPROACH AT PICO (MPC LPPI - IAC/1).
OPERATORS SHALL ONLY TURN RIGHT TO SOLGI AFTER HAVING PASSED VELAS
NORTHBOUND AND HAVING REACHED 5000FT WHILE MAINTAINING QDR011 FROM
PI LOCATOR.
PILOTS ARE REMINDED THAT AN ATC CLEARANCE TO CONDUCT AN INSTRUMENT
APPROACH TO PICO, DOES PROVIDE APPROPRIATE ICAO IAP PROTECTION, BUT
DOES NOT ENSURE THE SAFETY OF OPERATIONS BELOW 2000FT, AS UNKNOWN
TRAFIC MAY BE OPERATING IN CLASS G AIRSPACE, AND AS PI LOCATOR IS
NOT YET MONITORED AT HORTA TOWER, SPECIAL ATTENTION TO ITS WORKING
STATUS, IS REQUIRED WHEN CONDUCTING THIS IFR APPROACH.
B0084/05FROM: 20 APR 2005 00:00TO: PERM

Sem comentários

Rui Medeiros disse...

Concordo consigo, mas para resolver isso só com uma verdadeira torre no Pico, e se só para certificar as luzes e colocar combustivel no Pico está a demorar tanto e são coisas anunciadas, o que não será preciso fazer para termos uma torre no Pico. Já foi reivindicada a sua necessidade, mas face a outras miudezas que ainda não foram acabadas têm-se deixado essa em standby.

Anónimo disse...

«O novo sistema de iluminação da pista do aeroporto do Pico, instalado no Verão, continua sem estar certificado pelo INAC, o que impede a operação de voos comerciais para a ilha durante a noite.

Fonte da transportadora SATA Air Açores, que gere o aeroporto da ilha, adiantou que os técnicos da empresa responsável pela instalação do novo sistema de iluminação "detectaram falhas numa das cabeceiras da pista", situação que ainda não está resolvida.
Por essa razão, a obra, inicialmente orçada em 600 mil euros, ainda não foi entregue à companhia aérea açoriana que assegure as ligações entre o arquipélago.
Só depois destas correcções é que as "telas finais" do novo sistema serão submetidas à apreciação do INAC, para que uma equipa de inspectores possa se deslocar ao Pico e solicitar um voo de teste para certificar a nova iluminação, explicou a mesma fonte.
Apesar de já estar montada, a iluminação da pista da ilha não pode ser utilizada para voos comerciais, o que impede os aviões da SATA e da TAP de operarem para o Pico durante a noite.
Durante a época de Natal, alguns voos provenientes de São Miguel e da Terceira com destino ao Pico foram cancelados, inicialmente, devido às más condições climatéricas e, mais tarde, por falta de iluminação da pista.
Uma explicação dada pela SATA aos passageiros com destino à ilha do Pico, que originou protestos, alguns dos quais expressos em artigos de opinião nos jornais locais.
Por inaugurar está, também, a nova aerogare do Pico, operacional desde Maio de 2006, mas ainda a funcionar de forma provisória, devido à ausência de alguns equipamentos, como balcões de check-in, passadeiras para bagagem e raios-x.
Alguns destes equipamentos já chegaram à ilha do Pico, mas só deverão ser montados em Janeiro, para que possam depois ser utilizados a partir de Fevereiro do próximo ano, de acordo com as expectativas da companhia aérea açoriana.
A nova aerogare custou aos cofres da região cerca de 5,5 milhões de euros, mas, apesar de já estar a funcionar há sete meses, ainda não foi inaugurada, por não estar totalmente operacional.
Investimentos financiados pelo Governo Regional, que dotou o aeroporto do Pico de novas valências (aerogare, torre de controlo, quartel de bombeiros e ampliação da placa de estacionamento), com o objectivo de permitir a operação de aviões de maior porte.
Além da construção destas novas estruturas, o executivo açoriano ampliou a pista do aeroporto da ilha para cerca de 1.700 metros, num investimento que rondou os oito milhões de euros.
../..»

Um amigo enviou-me «isto», que levo ao teu conhecimento (tirei algumas partes que não são relevantes). Não sei a fonte.
Boas Festas
amg

Rui Medeiros disse...

A falha a que se referem é a dos REIL da Pista 09. Não sei se chegaram a estar a funcionar correctamente, mas chegaram a estar ligados. Só critico o atraso geral que tem estado sempre presente em tudo o que toca a esta ampliação do aeroporto do Pico, que no caso das luzes já fizeram de facto falta este Inverno.

pico disse...

ILHA DO PICO MUITO PREJUDICADA ESTA SEMANA PELA SATA. CANCELAMENTOS POR MOTIVOS TÈCNICOS E DIZEM QUE TAO DISPONIVEIS!!!!! A SATA TA NA MADEIRA

José Melo disse...

E não me venham dizer que estes sucessivos atrasos são por motivos de força maior ou por acaso. Há muita bela gente que não aprecia o facto de o Pico estar a tentar e, em certos casos, conseguir progredir nos vários sectores.
Cada casa tem o bom vizinho e o mau vizinho. O mau vizinho do Pico parece-me estar a atrasar estas coisas.
E há que continuar a resmungar e a refilar... Pelos vistos não nos resta outra alternativa!

Anónimo disse...

Penso que os maus vizinhos são os próprios picarotos e não picoenses.
Eu sou um picaroto e não picoense e já me apercebi disso.
Resolvam os problemas de casa antes de criticarem seja quem for.
As provas são evidentes e estão à vista
Só não vê quem não quer

xatinha disse...

EU TENHO VISTO O AEROPORTO DO PICO COM AS LUZES DA PISTA ACESAS!!!POSSIVELMENTE O FUNCIONÀRIO QUANDO LIGA A LUZ CERTIFICA-SE DE QUE ELAS FICARAM ACESAS, OU NÃO SERÁ ASSIM????JULGO QUE NÃO É NECESSÁRIO VIR CÁ NINGUÉM VER !!! OU TAMBÉM É PARA INAUGURAR???
UM BOM ANO 2008
Francisco Medeiros