14 novembro 2006

O ILS está mais perto!

Está no jornal Ilha Maior o aviso de concurso para as movimentações de terras para a instalação do ILS no aeroporto da Ilha do Pico, obras estimadas em 1096558,25 Euros, e com um prazo de execução de 90 dias.
Não querendo acreditar que se vai gastar mais de 1 milhão de euros nestes trabalhos para depois ficarmos mais uns valentes anos à espera da instalação e certificação do ILS, como aconteceu em Ponta Delgada e em Faro, é com satisfação que vejo este aviso!
Não sendo tão importante como por exemplo haver combustível para reabastecer as aeronaves, será também uma grande melhoria na qualificação do aeroporto, aumentando a sua operacionalidade e tornando-o mais atractivo, podendo mesmo, desde que exista combustível, atrair escalas técnicas de pequenas aeronaves que por algum motivo não escalem Santa Maria, uma vez que passa a estar na categoria dos que possuem aproximações de precisão.
Espero assim que todo o processo de instalação e certificação seja o mais breve possível, embora não esteja muito optimista neste campo.

08 novembro 2006

Reforço de voos Natalício deixa o Pico de fora

À semelhança de um post de Julho passado, e em continuação do post no Natal só pela Horta, fiz umas simulações de preços para uns voos Lisboa Pico e Lisboa Horta, nas mesmas datas, no site da TAP. Não foi com grande espanto que obtive os mesmos resultados de Julho, se alguém ainda pensa no capricho de viajar pelo Pico perde logo a vontade quando vê que além dê não ter escolha na data, ainda paga mais... Desta vez, ainda a mais de um mês das férias, um não residente pagaria no mínimo 307 euros para vir ao Pico, e 220 euros mais o táxi e o bilhete de barco para vir ao Pico...Via Horta.
E nem a um único voo extraordinário temos direito! Não pode ser por falta de aviões, afinal só nos dias 16 e 17 de Dezembro estão programados 6 voos Lisboa Horta, com ainda mais alguns extraordinários durante toda a época Natalícia.
Claramente não há aqui qualquer menosprezo por parte da TAP para com os Picarotos, afinal o Pico nem tem Aeroporto, nem foi feito um grande investimento para que tudo continue praticamente na mesma, nem existe muita gente a fazer o máximo que podem para que isto não ande para a frente mesmo…
Provavelmente dava-lhes muito mais jeito continuar a voar apenas para a Horta, era menos uma rota para chatear, mas agora que ela existe o melhor é continuar a não ligar muito e fazer apenas os mínimos exigidos, pode ser que com o tempo desapareça.

Eu vou fazer o melhor papel possível no meio desta história, este Natal faço Lisboa – Ponta Delgada – Terceira – Pico, e volto no voo directo. Posso até ficar retido por mau tempo, mas se todos nós fizéssemos um esforço para voar pelo Pico, quando não é imperativo voar pela Horta pelas mais variadas razões, valeria a pena e acelerávamos a mudança. É um pequeno gesto que feito por muitos fará diferença.