27 setembro 2006

Rescaldo tardio da vista do Governo no que toca ao aeroporto.

Com a visita do Governo Regional ao Pico a coincidir com o meu regresso à Covilhã e aos estudos, acabei por não comentar os resultados da visita no que toca às questões aeronáuticas.
Foi anunciado que em 2007 vão ser iniciadas as obras do parque de combustíveis para abastecer os aviões, o que é uma excelente noticia, mas foi dada num tom que já conhecemos: é para se ir fazendo. E os combustíveis são na minha opinião o que mais faz falta ao nosso aeroporto neste momento. Esperemos que pelo menos a obra não atrase muito mais.
Foi também anunciado que se irão dar instruções à SATA para lançar concursos públicos com vista à aquisição do ILS, movimentação de terras para a instalação do mesmo e para 2 armazéns, um para carga e o segundo para o material de placa. São também obras que já estavam previstas no projecto inicial, e não são portanto uma surpresa, espero mais uma vez que todo o processo decorra sem problemas, de modo a termos em breve o aeroporto a funcionar em pleno.
Fez-se também o anúncio de que no próximo verão a TAP passará a efectuar 2 voos semanais, mas só em Julho e Agosto. Outra vez, na minha opinião, considero que isto é manifestamente pouco, afinal são só mais 4 toques extra em relação aos que aconteceram este ano, enquanto que continuará o Faial a receber 2 toques diários, e em certos dias mesmo 3. E diz-se que é mesmo assim, estamos a evoluir devagarinho, pois eu digo que isto não é devagarinho, é parado! Mas vamos refilar com que argumento se nem combustível ainda temos para que o voo deixe de escalar a Terceira? Mais uma vez vamos ter que esperar para ver como a situação evolui, e não deixar esquecer estes assuntos, porque afinal só se falou na construção do parque de combustiveis, ninguém garante que com ele pronto existam logo condições para o inicio da sua operação. E para já não deixa de ser frustante a forma como anunciaram os voos extra no verão, como se fossem uma vitória. Só quando os 2 semanais existirem durante todo o ano e com mais extras no verão e nas alturas das férias escolares é que devemos considerar ganha a batalha inicial por mais voos, pois muitas mais ainda ão de vir.

12 setembro 2006

Equipas desportivas afinal têm voo pelo Pico

Com certeza devem ainda lembrar-se da "prenda" que nos deu a SATA Internacional ao mudar o seu voo para o Faial de Terça para o Sábado, com o intuito de servir as equipas desportivas do Pico e Faial.
Afinal parece que não vão puder contar com os desportistas do Pico, porque o Secretário Regional da Economia deu instruções à SATA Air Açores para realizar um voo extraordinário ao Sábado para a Terceira, de modo a dar ligação ao voo que sai desta ilha para Lisboa ás 10:25, tal como já foi feito no Inverno passado.
Assim, parece que a nossa aspiração de puder voar pelo Pico foi considerada válida, uma vez que não é por falta de voo pela Horta, como no inverno passado, que motiva este voo.
Mas mais uma vez alguma coisa trava o segundo voo directo de Lisboa para o Pico! Porquê? O quê? Quem? De onde vem tanta resistência a este reforço que já se provou necessário?
É já amanhã a visita do Governo Regional ao Pico, veremos que novidades terão para nos dar sobre este assunto.

01 setembro 2006

No Natal só pela Horta!

Aproxima-se o começo das aulas, e como sempre lá fui comprar o meu bilhete para Lisboa, afinal ainda não há voos para a Covilhã! >:]
Desta vez vou viajar numa Quinta e por isso não foi difícil reservar um lugar, mas para o regresso a coisa já não está tão bem.
Escolhi um dia em que praticamente todos os estudantes querem regressar, mas com essa data a mais de três meses de hoje não achei que fosse preciso recorrer à solução do costume, regressar pela Horta.
Afinal estava errado, no dia 16 de Dezembro, Sábado, os voos para a Terceira e Ponta Delgada que dão ligação ao Pico estão cheios, mas não há motivos para preocupação, já estão marcados 3, sim três, voos para a Horta, dois deles extraordinários, e o outro o tal da SATA que foi mudado para servir as equipas desportivas do Pico, e para não ser injusto, a do Faial também.
Como não é o voo para o Pico que está cheio, se ficarmos em lista de espera para a Terceira ou S. Miguel, em nada vamos ajudar a decisão de que afinal é preciso um voo para o Pico, e como ninguém quer arriscar perder dias das preciosas férias do Natal acabamos todos por nos conformar e viajar pelo Faial, onde vamos constatar mais uma vez que metade dos estudantes nesses voos vêm para o Pico.
Será que ninguém em posição onde possa fazer alguma coisa, não vê isto também? Custava muito um desses voos ser para o Pico? É claro que a companhia não tem de saber que os passageiros que transporta afinal vão para o Pico, e estatisticamente não tem meio de o saber. Uma solução seria recusarmos todos voar nesse dia para o Faial, mas ninguém quer arriscar problemas para chegar a casa por uma coisa que, afinal, sempre foi assim.
É como já têm dito, somos uma terra de brandos costumes, mas desta forma nem um voo extra pelo natal conseguimos, quanto mais o segundo semanal. É quase certo que um voo nesse dia pelo Pico ficaria cheio, mas quem sou eu para lançar esse desafio a uma transportadora, sozinho não lhe dou quaisquer garantias, e mais uma vez ela não tem maneira de saber que existem passageiros, é preciso fazer ainda mais barulho!