06 fevereiro 2006

Adiada abertura da aerogare

É a primeira decisão acertada que vejo ser tomada no processo da ampliação do aeroporto do Pico. A afirmação pode ser um bocado exagerada, mas a verdade é que muita coisa foi feita do modo mais rápido, mais barato ou que dava mais jeito, em detrimento do modo que ficaria melhor.
Desta vez lá se decidiu acertadamente que a nova aerogare só deve abrir quando estiver totalmente completa, ou seja com o equipamento novo instalado e a funcionar como deve ser.
Mas mesmo que se tenha tomado uma decisão acertada, é de se lamentar que se tenha sido necessário tomar esta decisão. Porquê? Porque as obras da aerogare estão atrasadas, então por que raio é que o material para o seu equipamento ainda não está pronto para ser instalado? Temos a estrutura atrasada mas pronta e mesmo assim só vê o seu equipamento para Junho? E assim arrasta-se por mais um bom bocado a conclusão das obras, uma vez que em quanto funcionar a velha aerogare não se pode acabar a nova placa de estacionamento.
E ainda à pouco tempo se falavam de voos charter no verão... Vão sonhando, se uma estrutura que até tinha data prevista de conclusão está assim, imagine-se como não estará o processo de colocar combustíveis no aeroporto do Pico.

3 comentários:

Ana Clara disse...

Pois meu amigo quanto ao combustivel ainda nem sequer está elaborado o concurso público internacional a que está obrigado esta situação.
É tudo mégalomano na cabeça destes governantes.
Quem paga o dinheiro desperdiçado em cimento na placa do aeroporto do Pico?
Alguem está a ganhar muito dinheiro com aquela obra
Só se vão revitalizar o Antonov de 6 motores e 32 rodas de aterragem avião este considerado o maior do mundo que até transportou uma locomotiva para vir testar esta placa.
Ou muito me engano ou nos meses de Inverno a aerogare vai encerrar metade em virtude de não possuir movimento e reduzir custos com o seu funcionamento.
Alguem imagina quanto custará a manutenção de uma aerogare daquele tamanho para tres meses de movimento?
Muito mais havia para dizer mas fica para a próxima.

Rui Medeiros disse...

Permita-me discordar da sua opinião, aliás penso que a nova placa do aeroporto do Pico é a única coisa bem dimensionada em toda a obra, pois está a ser feita de modo a suportar todo o movimento que este aeroporto possa vir a ter em muitos anos, ao contrário de quase tudo em portugal que tem que ser remodelado poucos anos após a sua conclusão.
Permita-me também dizer que metade da placa é feita e betão armado não por capricho de alguém, mas porque está provado que este tipo de pavimento resiste melhor ás cargas estáicas dos aviões lá parados, bem como não se detriora com os fluidos hidráulicos, óleos e combustivel que ocasionalmente são derramados e pingam do avião, ou seja mais uma boa decisão do projectista.
Quanto ao tamanho da aerogare, não se iluda que em 10- 15 anos está a ser aumentada, é na minha opinião outra das obras de vistas curtas por isso mesmo. A quando do ínicio da sua construção falava-se que serviria para 40 mil pasageiros por ano, pois em 2005 já passaram mais na aintiga!
E que escreva a próxima, gostava de saber que mais está a ser mal feito na sua opinião.

Rui Medeiros disse...

Ah e esqueci-me de dizer, não, não vão revitalizar o Antonov 225 "Mriya" para vir ao Pico, até porque ele anda por aí a voar, mas não pode vir ao Pico porque só descolaria da nossa pequena pista quase vazio e não cabia na nossa (que a si lhe parece enorme) placa. A sermos rigorosos caber cabia, mas não conseguiria manobrar para lá entrar ou sair. A placa está dimensionada tendo como avião limite o A310, muito mais pequeno.