17 dezembro 2006

Luzes fantasma

Com a chegada do Natal chegaram também as viagens dos estudantes para passarem a quadra com as suas famílias, mas desta vez um sistema frontal com depressão associada decidiu complicar os nossos planos.
No sábado dia 16 de Dezembro, cancelaram 2 dos 3 voos Lisboa - Horta e um Ponta Delgada - Pico por razões meteorológicas, mas o que me leva a escrever estas linhas foi o outro cancelamento do voo Terceira - Pico que se deu por outros motivos mais difíceis de esclarecer.
A minha viagem começou em Lisboa, onde apanhei o voo S4121 com destino a Ponta Delgada. Embarcamos dentro do horário, mas quando chegamos ao avião foi-nos informado que um problema com as bagagens no aeroporto atrasaria a nossa saída, e acabámos por sair 1 hora e 30 minutos depois do horário previsto, e mesmo assim com falta de algumas bagagens, incluindo a minha. Já estava a ver que ia perder a ligação ao Pico, mas esse voo atrasou também cerca de 1 hora e meia enquanto esperava melhoria na visibilidade, e assim não tive problemas em chegar a tempo.
Uma vez embarcados no ATP e com os motores já em marcha, eis que surge uma pequena avaria que obrigou à mudança de uma peça, e lá tivemos que voltar ao terminal por mais uns 15 minutos. Mas a espera ainda não tinha acabado, pois um passageiro com destino Terceira só apareceu passados outros 15 minutos enquanto todos os outros esperavam por ele no autocarro. Embarcamos de novo e saímos para a Terceira, pois o voo SP472 faz lá escala.
Até aqui tudo bem pois os atrasos verificados por causa da meteorologia, avarias e passageiros que têm a mania que são os maiores e os outros todos que esperem por eles, são coisas de força maior que não são fáceis de remediar.
Ao chegar à Terceira saímos mais uma vez do avião e já se ouviam rumores de que não íamos ao Pico, mas no fim de contas lá nos chamaram para o embarque passados apenas 5 minutos. Mais uma vez embarcamos mas após a contagem dos passageiros verificou-se que faltavam 12, retidos algures na aerogare, pois apesar de o voo estar bastante atrasado, a chamada de embarque só foi feita tardiamente já depois de estarmos no chão. E com isto tudo estava quase de noite e, pasme-se, a pista do Pico não tem luzes, toca portanto a desembarcar outra vez, e agora já sabendo que teríamos de passar a noite na Terceira.
Pois é, a pista do Pico não tem luzes… Elas de facto estão lá, e funcionam, mas no papel não existem porque o INAC ainda não as certificou e sabe-se lá para quando o vai fazer. Assim legalmente não se pode vir ao Pico depois do por do sol! Mas que grande investimento este no sistema luminoso de última geração!
Numa situação idêntica está as Flores, que também tem luzes não certificadas pelo INAC, situação que já foi alvo de criticas do Governo Regional à ANA, por esta não ter ainda pedido o seu processo de certificação. E o que dizer do caso do Pico? As luzes já existem há bastante tempo, o aeroporto é do Governo Regional, concessionado à SATA Gestão de Aeródromos, porque é que as luzes ainda não estão certificadas?
Mas a nossa aventura ainda não tinha acabado! Após uma noite com tudo pago na Terceira chegamos ao aeroporto para descobrir que os nomes dos passageiros que estavam em trânsito de S. Miguel no dia anterior não constam da lista de passageiros para o voo extraordinário e ficamos em lista de espera. Após mais um atraso de uma hora só nos aceitam nos últimos minutos, e mesmo assim não a todos. Ainda ficaram alguns atrás, talvez esperando as operações conseguir acomodá-los no voo das 15. O problema é que com o tempo ainda pouco famoso os atrasos vão-se acumulando, e quando o avião que faria esse voo chegou à Terceira já era mais uma vez tarde de mais para chegar ao Pico antes do por do sol e o voo foi cancelado. O transtorno para os passageiros é enorme, e os custos para a SATA também não são desprezáveis. O que aconteceu este fim de semana não é um caso pontual, no Inverno o mau tempo é frequente e os dias curtos, então porquê o atraso na certificação das luzes?

04 dezembro 2006

Aerogare só estará pronta em 2007

Depois de após o último atraso estar prevista a inauguração da aerogare do aeroporto do Pico para Novembro passado, eis que sai a notícia que afinal é só para 2007 a sua conclusão.
Não é que uma pessoa queira apenas criticar, mas a verdade é que as obras de ampliação do aeroporto do Pico já começaram à mais de 4 anos no Outono de 2002, o que me parece exagerado para uma obra desta dimensão. As coisas vão-se fazendo, mas a muito custo, parece que cada passo tem de ser arrancado a ferros, como exemplo recente basta falar mais uma vez da falta de voos extraordinários para o Pico neste Natal. Até parece que não nos levam muito a sério.
O único grande feito aqui será a instalação do ILS, essa sim uma obra que não é estritamente necessária, mas é um bónus que vem melhorar a operacionalidade do nosso aeroporto, e será o sinal que afinal de contas nos levam a sério, só é pena não o demonstrarem em tudo o resto.

14 novembro 2006

O ILS está mais perto!

Está no jornal Ilha Maior o aviso de concurso para as movimentações de terras para a instalação do ILS no aeroporto da Ilha do Pico, obras estimadas em 1096558,25 Euros, e com um prazo de execução de 90 dias.
Não querendo acreditar que se vai gastar mais de 1 milhão de euros nestes trabalhos para depois ficarmos mais uns valentes anos à espera da instalação e certificação do ILS, como aconteceu em Ponta Delgada e em Faro, é com satisfação que vejo este aviso!
Não sendo tão importante como por exemplo haver combustível para reabastecer as aeronaves, será também uma grande melhoria na qualificação do aeroporto, aumentando a sua operacionalidade e tornando-o mais atractivo, podendo mesmo, desde que exista combustível, atrair escalas técnicas de pequenas aeronaves que por algum motivo não escalem Santa Maria, uma vez que passa a estar na categoria dos que possuem aproximações de precisão.
Espero assim que todo o processo de instalação e certificação seja o mais breve possível, embora não esteja muito optimista neste campo.

08 novembro 2006

Reforço de voos Natalício deixa o Pico de fora

À semelhança de um post de Julho passado, e em continuação do post no Natal só pela Horta, fiz umas simulações de preços para uns voos Lisboa Pico e Lisboa Horta, nas mesmas datas, no site da TAP. Não foi com grande espanto que obtive os mesmos resultados de Julho, se alguém ainda pensa no capricho de viajar pelo Pico perde logo a vontade quando vê que além dê não ter escolha na data, ainda paga mais... Desta vez, ainda a mais de um mês das férias, um não residente pagaria no mínimo 307 euros para vir ao Pico, e 220 euros mais o táxi e o bilhete de barco para vir ao Pico...Via Horta.
E nem a um único voo extraordinário temos direito! Não pode ser por falta de aviões, afinal só nos dias 16 e 17 de Dezembro estão programados 6 voos Lisboa Horta, com ainda mais alguns extraordinários durante toda a época Natalícia.
Claramente não há aqui qualquer menosprezo por parte da TAP para com os Picarotos, afinal o Pico nem tem Aeroporto, nem foi feito um grande investimento para que tudo continue praticamente na mesma, nem existe muita gente a fazer o máximo que podem para que isto não ande para a frente mesmo…
Provavelmente dava-lhes muito mais jeito continuar a voar apenas para a Horta, era menos uma rota para chatear, mas agora que ela existe o melhor é continuar a não ligar muito e fazer apenas os mínimos exigidos, pode ser que com o tempo desapareça.

Eu vou fazer o melhor papel possível no meio desta história, este Natal faço Lisboa – Ponta Delgada – Terceira – Pico, e volto no voo directo. Posso até ficar retido por mau tempo, mas se todos nós fizéssemos um esforço para voar pelo Pico, quando não é imperativo voar pela Horta pelas mais variadas razões, valeria a pena e acelerávamos a mudança. É um pequeno gesto que feito por muitos fará diferença.

31 outubro 2006

Santa Maria Radar!

Pois é, foi uma grande melhoria no espaço aéreo Açoriano que já tem sido reivindicada desde há muito tempo e é finalmente uma realidade, sem que muita gente se tenha apercebido disso.
Falo da instalação de um Radar para controlo de tráfego aéreo em Santa Maria, que vai para já servir os voos em fase de cruzeiro que atravessam a zona terminal de Santa Maria, acima dos 5500 pés. Deste modo o controlo é mais eficiente e preciso, facilitando a vida quer a pilotos quer a controladores. Para já o alcance está limitado a 200 milhas náuticas, e os controladores das aproximações não o podem utilizar, mas é uma grande melhoria que aproxima a qualidade do serviço prestado nos nossos céus à dos melhores centros europeus.

25 outubro 2006

Dornier de volta aos céus Açorianos

Saiu ontem das oficinas de manutenção da SATA em Ponta Delgada, com a cara lavada, o "nosso" Dornier 228, após ter sido alvo de uma grande manutenção, normal a todas as aeronaves quando chegam a uma certa idade, ou horas de voo. Neste caso a saída do Dornier dos voos regulares foi bastante notada, porque afinal é a única aeronave da SATA que opera no Corvo, quando por exemplo a saída de um ATP para manutenção raramente chega à praça pública.
Foram feitas algumas críticas ás limitações impostas pelo equipamento alugado pela SATA para fazer o seu trabalho, que embora de interiores mais luxuosos tem também menor capacidade para bagagens e carga. Pode ser que assim, para além de se criticar, se tenha percebido também o esforço que se faz por ter que existir um avião dedicado apenas a servir o Corvo. Esta situação poderá melhorar com a entrada ao serviço da nova frota da SATA Air Açores, que em principio contará com aeronaves mais uniformizadas, as mais pequenas capazes de operar no Corvo, mas por enquanto continua o Dornier a cruzar os nossos céus, e a ligar o Corvo ao mundo! (Foto de Rui Costa)


19 outubro 2006

Terceira também prejudicada pelo voo do Pico ser à Terça

Já não são só os Picarotos descontentes com a escala semanal da TAP no Pico. Desta vez é o PSD Terceira que se queixa da situação que as condições do concurso para as ligações das ilhas ao continente permitem.
O que se passa é que à Terça o único voo da Terceira para Lisboa no horário de Inverno é precisamente o mesmo que vai ao Pico, prejudicando quer Terceirenses quer Picarotos que vêm a oferta de lugares diminuída e o inconveniente de uma escala.
O PSD Terceira deixa claro que não é contra o voo do Pico, mas pede uma solução para que também não sejam tão prejudicados, uma vez que os passageiros do Pico têm prioridade pois este é o seu único voo semanal disponível, e dizem que a Terça é um dia morto, quase como se não houvesse voo.
Este problema só será solucionado de vez se na elaboração das regras do próximo concurso para as ligações com os Açores passar a constar a obrigação de se voar para o Pico sem escala, desde que esteja disponível o combustível, que diz quem manda, vai estar.
Para remediar por agora, porque é que o voo da Terceira que faz escala no Pico, afinal é assim que a TAP vê o nosso voo, não é na Sexta ou no Domingo? Dias em que a Terceira tem dois voos, não ficando assim nenhum dia com um único voo condicionado pelo tráfego do Pico, e dias que darão com certeza mais jeito às pessoas do Pico também!
Provavelmente a TAP nunca sequer pensou nisto, afinal o que interessa é ganhar dinheiro, servir melhor as populações no que é afinal serviço público parece ser secundário, ou será que apenas não fazem uma mudança porque simplesmente não lhes dará jeito?

11 outubro 2006

"Casa roubada, trancas à porta"

Foi preciso morrer uma turista durante uma subida ao Pico para se começar a mexer nas leis que vão regular a subida à montanha. E parece que vão por as culpas todas na falta de guia, ou pelo menos parece ser esse o tom quando dizem que vão acabar com os chamados guias não oficiais. E porque não culpar que lá colocou os marcos novos de plástico? É que da última vez que subi a montanha este verão não vi nenhum destes novos marcos na sua posição original, pior do que isso, muitos deles, por terem caído de onde estavam até nos indicam caminhos errados, e se queremos estar seguros do caminho temos de nos guiar pelos poucos velhos que ainda estão de pé. Porque é que não se restaurou os marcos antigos quando pensaram em colocar estes novos? Provavelmente dava muito mais trabalho e ficaria mais caro, mas será que se tivesse sido essa a opção, esta infeliz turista teria perdido a vida?
Em dias de bom tempo a subida ao Pico não tem nada de especial em termos de perigosidade do percurso, muitos dos turistas que nos visitam e querem subir a montanha já fizeram muitas caminhadas em locais muito mais remotos e perigosos que o Pico, e ter de pagar balúrdios a guias é um bocado contra censo nesta situação. O mesmo se aplica a Picarotos que já subiram bastante vezes a montanha.
Com mau tempo a coisa já é diferente, e com os marcos da maneira que estão pode ser mesmo difícil manter-se no trilho, mas também não é uma enorme dificuldade para quem já fez umas boas subidas e conhece os trilhos. De qualquer forma o que se diz por agora é que quem quiser subir sem guia poderá faze-lo, desde que assine um termo de responsabilidade. Interessa aqui também saber se Picarotos com algumas subidas podem levar os seus amigos de fora a subir a montanha de modo a que estes não tenham também de pagar guias. Que não fique aqui a ideia que sou contra os guias, mas de facto acho-os caros, especialmente para que é estudante por exemplo, e volto a dizer fazem todo o sentido pelas explicações que podem ir dando durante a subida e pelo seu conhecimento da subida em si, mas seria mau tratar toda a gente por igual e obrigar o João Garcia a pagar um guia do Pico!
Quanto à proposta de se limitar o numero de pessoas que sobem por dia, podia ver vantagens ambientais nisso, se o Pico de facto fosse assim tão concorrido, do modo que estamos, desde que não seja preciso começar a fazer reservas para subir a montanha em vez de se subir nos dias em que realmente o tempo está bom, não acho que seja uma medida ridícula.

09 outubro 2006

Update ao cenário do Pico

Agora neste começo de semestre em que ainda temos tempo para alguma coisa, decidi acrescentar alguns promenores ao cenário do aeroporto do Pico que fiz para o FS2004. Continua a não estar perfeito mas é bem melhor do que o cenário que vem por defeito!
Quem estiver interessado pode fazer o download em: http://clientes.netvisao.pt/medeirosr/Pico.rar

27 setembro 2006

Rescaldo tardio da vista do Governo no que toca ao aeroporto.

Com a visita do Governo Regional ao Pico a coincidir com o meu regresso à Covilhã e aos estudos, acabei por não comentar os resultados da visita no que toca às questões aeronáuticas.
Foi anunciado que em 2007 vão ser iniciadas as obras do parque de combustíveis para abastecer os aviões, o que é uma excelente noticia, mas foi dada num tom que já conhecemos: é para se ir fazendo. E os combustíveis são na minha opinião o que mais faz falta ao nosso aeroporto neste momento. Esperemos que pelo menos a obra não atrase muito mais.
Foi também anunciado que se irão dar instruções à SATA para lançar concursos públicos com vista à aquisição do ILS, movimentação de terras para a instalação do mesmo e para 2 armazéns, um para carga e o segundo para o material de placa. São também obras que já estavam previstas no projecto inicial, e não são portanto uma surpresa, espero mais uma vez que todo o processo decorra sem problemas, de modo a termos em breve o aeroporto a funcionar em pleno.
Fez-se também o anúncio de que no próximo verão a TAP passará a efectuar 2 voos semanais, mas só em Julho e Agosto. Outra vez, na minha opinião, considero que isto é manifestamente pouco, afinal são só mais 4 toques extra em relação aos que aconteceram este ano, enquanto que continuará o Faial a receber 2 toques diários, e em certos dias mesmo 3. E diz-se que é mesmo assim, estamos a evoluir devagarinho, pois eu digo que isto não é devagarinho, é parado! Mas vamos refilar com que argumento se nem combustível ainda temos para que o voo deixe de escalar a Terceira? Mais uma vez vamos ter que esperar para ver como a situação evolui, e não deixar esquecer estes assuntos, porque afinal só se falou na construção do parque de combustiveis, ninguém garante que com ele pronto existam logo condições para o inicio da sua operação. E para já não deixa de ser frustante a forma como anunciaram os voos extra no verão, como se fossem uma vitória. Só quando os 2 semanais existirem durante todo o ano e com mais extras no verão e nas alturas das férias escolares é que devemos considerar ganha a batalha inicial por mais voos, pois muitas mais ainda ão de vir.

12 setembro 2006

Equipas desportivas afinal têm voo pelo Pico

Com certeza devem ainda lembrar-se da "prenda" que nos deu a SATA Internacional ao mudar o seu voo para o Faial de Terça para o Sábado, com o intuito de servir as equipas desportivas do Pico e Faial.
Afinal parece que não vão puder contar com os desportistas do Pico, porque o Secretário Regional da Economia deu instruções à SATA Air Açores para realizar um voo extraordinário ao Sábado para a Terceira, de modo a dar ligação ao voo que sai desta ilha para Lisboa ás 10:25, tal como já foi feito no Inverno passado.
Assim, parece que a nossa aspiração de puder voar pelo Pico foi considerada válida, uma vez que não é por falta de voo pela Horta, como no inverno passado, que motiva este voo.
Mas mais uma vez alguma coisa trava o segundo voo directo de Lisboa para o Pico! Porquê? O quê? Quem? De onde vem tanta resistência a este reforço que já se provou necessário?
É já amanhã a visita do Governo Regional ao Pico, veremos que novidades terão para nos dar sobre este assunto.

01 setembro 2006

No Natal só pela Horta!

Aproxima-se o começo das aulas, e como sempre lá fui comprar o meu bilhete para Lisboa, afinal ainda não há voos para a Covilhã! >:]
Desta vez vou viajar numa Quinta e por isso não foi difícil reservar um lugar, mas para o regresso a coisa já não está tão bem.
Escolhi um dia em que praticamente todos os estudantes querem regressar, mas com essa data a mais de três meses de hoje não achei que fosse preciso recorrer à solução do costume, regressar pela Horta.
Afinal estava errado, no dia 16 de Dezembro, Sábado, os voos para a Terceira e Ponta Delgada que dão ligação ao Pico estão cheios, mas não há motivos para preocupação, já estão marcados 3, sim três, voos para a Horta, dois deles extraordinários, e o outro o tal da SATA que foi mudado para servir as equipas desportivas do Pico, e para não ser injusto, a do Faial também.
Como não é o voo para o Pico que está cheio, se ficarmos em lista de espera para a Terceira ou S. Miguel, em nada vamos ajudar a decisão de que afinal é preciso um voo para o Pico, e como ninguém quer arriscar perder dias das preciosas férias do Natal acabamos todos por nos conformar e viajar pelo Faial, onde vamos constatar mais uma vez que metade dos estudantes nesses voos vêm para o Pico.
Será que ninguém em posição onde possa fazer alguma coisa, não vê isto também? Custava muito um desses voos ser para o Pico? É claro que a companhia não tem de saber que os passageiros que transporta afinal vão para o Pico, e estatisticamente não tem meio de o saber. Uma solução seria recusarmos todos voar nesse dia para o Faial, mas ninguém quer arriscar problemas para chegar a casa por uma coisa que, afinal, sempre foi assim.
É como já têm dito, somos uma terra de brandos costumes, mas desta forma nem um voo extra pelo natal conseguimos, quanto mais o segundo semanal. É quase certo que um voo nesse dia pelo Pico ficaria cheio, mas quem sou eu para lançar esse desafio a uma transportadora, sozinho não lhe dou quaisquer garantias, e mais uma vez ela não tem maneira de saber que existem passageiros, é preciso fazer ainda mais barulho!

24 agosto 2006

Passagem baixa!

Não estava para fazer três post seguidos apenas com fotos de aviões no Pico, mas hoje tivemos direito a uma passagem baixa do TAP 3817, e por isso deixo mais uma vez aqui algumas fotos, desta vez com menos qualidade, mas duma passagem que não se vê todos os dias!


18 agosto 2006

Spotting no Pico V

No seguimento do último post, e para não passar um mês sem posts, aqui ficam mais algumas fotos:

29 julho 2006

Spotting no Pico IV

Para não passar as férias sem qualquer post, deixo aqui as melhores fotos dos últimos dias.

19 julho 2006

Este ano acabou

Pois é, este ano escolar acabou de acabar para mim. Podia ter sido bem melhor, mas também podia ter sido bem pior, mas estou contente por estar de férias porque estas últimas semanas na Covilhã são sempre terríveis. Andam a falar em exames especiais em Setembro mas isso já é para encarar com outro espírito após uns dias no Pico.

Entretanto S. Pedro até nos quis brindar esta noite com um espectáculo de fogo de artificio natural, como que em jeito de despedida. Tentei tirar umas fotos, e aqui fica o resultado:

22 junho 2006

Voos quase cheios tornam voar para o Pico mais caro.

Como sabem todos os residentes nos Açores tem direito à tarifa de residente quando viajam de avião, sendo essa tarifa fixa por lei, mas o mesmo não acontece com as tarifas aplicadas a todos os outros passageiros, e normalmente as companhias aéreas vendem os primeiros lugares mais barato do que os últimos, quando já falta pouco para encher o avião, de modo a maximizarem os seus lucros, daí a vantagem de se reservar com antecedência.
Acontece que mais uma vez o Pico é penalizado por este facto, por ter poucos voos, senão vejam a experiência que fiz no site da TAP.
Escolhi as duas últimas de semanas de Julho para fazer um teste e saber quanto me custaria um voo Lisboa Pico se não fosse residente, e nessas duas semanas tenho disponíveis para o Pico voos nos dias18, 20, 25 e 27, ou seja há também um voo na Quinta-feira como já foi anunciado.
Pelo percurso Lisboa Pico teria de pagar, não incluindo taxas, 220 euros no dia 18, 134 euros no dia 20 e 176 euros nos dias 25 e 27. Para o regresso pagaria 176 euros nos dias 18 e 20, 220 euros no dia 25 e 92 euros no dia 27.
Isto é assim porque como são poucos voos já estão quase cheios, e é normal que se venda primeiro os lugares disponiveis para as tarifas mais baixas, no caso dos dias a 220 euros está-se a pagar mesmo classe executiva, pois já só existem lugares nessa classe.
Mas se analisarmos os voos na mesma semana para a Horta vemos muitos voos ainda com tarifas de 92 e até 77 euros disponíveis, e nos mesmos dias em que há voo para o Pico estão disponíveis para o voo Lisboa Horta tarifas de 111 euros no dia 18, e 92 euros nos dias 20, 25 e 27, e para o voo Horta Lisboa estão disponíveis tarifas de 77 euros nos dias 18, 20 e 25 e de 92 euros no dia 27. Isto é possível porque com mais voos há ainda mais lugares por reservar, e portanto tarifas mais baixas.
Coloque-se agora na pele de um turista que até quer voar para o Pico. Depois de verificar as tarifas claro que voaria pela Horta, pois nos dias com voo pelo Pico sai muito mais barato voar pela Horta. O dinheiro que poupa dá de resto para o táxi e viagem de barco!
E com as coisas desta maneira temos que esperar por mais passageiros para termos mais voos? Os voos são necessários já, nem que seja um desvio de um dos dois diários da Horta que faça um LIS-PIX-HOR-LIS. Claro que de Inverno as coisas são diferentes, mas os 5 voos extra que a TAP vai realizar para o Pico durante todo o verão são manifestamente poucos.

18 junho 2006

Aumento da pista do aeroporto da Horta II

Volto a falar neste assunto porque encontrei mais um documento que apoia a minha opinião que dei a conhecer no primeiro post com o mesmo título.
É um requerimento de informação ao Governo Regional dos Açores que pode ser consultado em http://base.alra.pt:82/4DACTION/w_pesquisa_registo/4/1394 , onde na resposta se lê que em estudos feitos pela ANA, e em relação a uma ampliação da pista do aeroporto da Horta em 275 metros, se estima ser necessário um investimento de entre 15 a 35 milhões de euros.
Mas estes 275 metros são insuficientes para que sejam possíveis os tais voos charter para a América do Norte, que requerem um aumento mínimo de 500 metros, ou seja um investimento ainda maior.
Agora tenham em conta que a ampliação do aeroporto do Pico custou cerca de 25 milhões de euros, estou a falar de tudo, a ampliação da pista estava no inicio estimada em cerca de 6,5 milhões de euros, com exclusão do iva como vem na resolução Nº 92-A/2001 de 19 de Julho, e estamos a falar num aumento de cerca de 225 metros que foi considerado de 427, porque cerca de 300 metros da pista antiga foram primeiro arrancados para se regularizar o seu slope, e foi ainda aumentada a largura da pista em 15 metros em todo o seu comprimento.
À luz destes valores é inegável que será extremamente mais caro fazer uma pista com capacidade para receber voos charter das Américas na Horta em relação ao Pico, diferença que daria com certeza para pagar o táxi e a viagem de barco aos passageiros com destino ao Faial por muitos anos, o que não deixaria de ser injusto para os Picarotos que há muito utilizam o aeroporto da ilha vizinha para se deslocarem ao Continente Português.
Assim não vejo razão para que a se revelar de facto necessário uma pista com capacidade para voos das Américas no triângulo se opte pela opção mais cara por razões politicas, existindo uma solução muito mais barata com os mesmo resultados positivos para todo o triângulo, bastando apenas que se inverta a situação actual, passando os passageiros com destino ao Faial a voar pelo Pico nos voos que lhes convenham.

Nota: Já sei que este tópico foca um assunto sensível, portanto lembrem-se que não vou aceitar comentários anónimos ou abusivos. Obrigado.

16 junho 2006

Cenário do Pico para o FS2004

Um dia destes lembrei-me de tentar fazer um cenário para o flight simulator do aeroporto do Pico.
Andei a pesquisar pela net, fiz o download de alguns programas de construção de cenários e o resultado está aqui:

O cenário ainda tem alguns bugs, e tenho intenções de o melhorar um pouco mais, mas vão começar agora os exames, e só terei tempo para voltar a mexer nele nas férias, e como já dá para se voar para um Pico mais parecido com o real, resolvi disponibilizá-lo como está, até porque o feedback de mais utilizadores pode ser útil para o seu melhoramento.

Assim podem fazer o download em: http://clientes.netvisao.pt/medeirosr/Pico.rar

12 junho 2006

Mais voos para o Pico não!

Estive a ler as notícias da Rádio Pico online onde vem o seguinte:

"(...)Dos 250 mil passageiros transportados pela TAP de e para as ilhas em 2005, 135 mil viajaram na rota da Terceira, 65 mil nos voos do Faial, 45 mil na linha de Ponta delgada e, apenas, cinco mil para o Pico. Números que segundo o director de vendas da TAP, revelam uma estagnação do mercado açoriano, que acompanhou a tendência nacional.
Quanto às ligações aéreas entre Lisboa e o Pico, que recebe um voo directo de Lisboa por semana, o director de vendas da TAP afirmou que a procura de passageiros não justifica o investimento. (...)"

A noticia vem a propósito do anuncio do que já à muito tempo se sabia, o aumento do numero de voos para a Terceira e Horta, pela TAP, durante os meses de verão.

Acho interessante considerar-se no lote de aeroportos com movimento estagnado o Pico que no ano passado passou de zero para 5000 passageiros, com um único voo a meio da semana.
E também gostava de saber como é que querem mais movimento sem mais voos? É que se fizerem a conta, 5000 mil passageiros a chegar no ano passado, desde abril, num voou partilhado com a Terceira, não deixa muitos lugares vagos, que podem até ter estado ocupados com Terceirences, tal como mais de metade dos contentores de carga que são reservados para a Terceira!
Vai aqui uma enorme vontade de se fazer voos para o Pico que nem digo nada. Que venha o concurso publico com a obrigação de dois voos semanais, para vermos qual será a desculpa para não se realizarem mais, quando os voos continuarem cheios. Será que esses Homens e Mulheres que estão sempre preocupados com o tal mercado não vêm que o mercado não é o Pico mas o triângulo, o mesmo que o que justifica dois voos diários para a Horta? Custava muito alterar o destino de 1 ou 2 desses voos, para não abusar logo no começo? Mas claro que é mais fácil a malta do Pico continuar a atravessar o canal do que fazer uma mudança destas!
Espero que 2007 seja capaz de nos trazer melhorias neste capítulo.

26 maio 2006

A nova aerogare já funciona

Foi ontem que a nova aerogare do Pico recebeu os seus primeiros passageiros. Está agora a funcionar provisoriamente com equipamento retirado da antiga, enquanto se aguarda a chegada e instalação dos novos, estando a sua inauguração prevista para Setembro.
A nova aerogare ocupa cerca de seis mil metros quadrados, está dimensionada para servir simultaneamente 2 ATP's e um A320 e custou 7,3 milhões de euros.
Na sua abertura estiveram presentes o Secretário Regional da Economia, Duarte Ponte, e o presidente da SATA, António Cansado, que realçaram o potencial da nova estrutura para o desenvolvimento do triângulo mas referiram também a importância de se conseguir agora que os aviões possam reabastecer cá.
Deixo aqui um link para a notícia do Açoriano Oriental sobre o assunto: http://acorianooriental.sapo.pt/noticia.asp?pid=17&nid=82948

Este fim de semana espero conseguir umas fotos para colocar cá.

11 maio 2006

Nova aerogare entra em funcionamento.

Dia 17, Quarta-feira, o aeroporto do Pico vai estar fechado por motivos de mudanças. Pois é, vão ter de fechar o aeroporto por um dia porque está tão atrasada a chegada dos novos equipamentos, que afinal sempre se vai começar a utilizar a nova aerogare com os equipamentos da velha. Não é que não estejamos habituados a dias sem voos, o vento de sul não perdoa, mas é mais um contratempo, e eu pessoalmente, não gosto de medidas provisórias, que em Portugal tem uma tendência a passar a ser definitivas. Embora não seja este o caso, uma vez que o concurso para a aquisição e instalação dos equipamentos já foi lançado, é preciso ter cuidado ou ainda se "esquecem" de instalar alguma coisa, porque como está já funciona...

Por outro lado, é bom que finalmente se passe para a nova aerogare, para que se possam acabar as obras da placa, só é pena que tenha de ser nestas condições. Ainda não percebo como é que passado tanto tempo não chegou o equipamento da nova aerogare, afinal qual seria o plano se a obra estivesse pronta dentro do prazo inicial? E assim mais um verão passará sem todas as condições necessárias para que se possa reclamar justamente mais voos para o Pico.

07 maio 2006

Coimbra - Covilhã em Piper Cherokee

Este fim de semana não correu nada mal no que toca aos aviões! No sábado estive no aeródromo da Covilhã a voar pela primeira vez o aeromodelo que montei cá... e ele não caiu! É um bom começo!
Hoje fui fazer um voo de Coimbra até à Covilhã no CS-AII, um Piper Cherokee do Aeroclube de Coimbra, com um colega meu que tem o brevet.
O tempo de manhã não estava muito solarengo mas o voo foi bastante agradável e como uma imagem vale por mil palavras aqui ficam algumas fotos.

25 abril 2006

Spotting no Pico III

Já lá vai mais de uma semana após as férias da Páscoa, e entrtanto acabei por não publicar aqui umas fotos (de aviões, o que haveria de ser?) tiradas no Pico. Assim, e para não passar muito tempo sem publicar nada, fica aqui o melhor que se conseguiu tirar durante a Páscoa no Pico.

Já estou à algum tempo a tentar apanhar o Pico por detrás do avião na aproximação há 27, ainda não foi desta mas está a ficar mais perto! ;) Na última foto, apanhei pela primeira vez a tripulação a acenar-me no Pico, e só dei por isso em casa... Dedico-a a todas as tripulações da SATA como forma de agradecimento.

14 abril 2006

Aerogare e viaturas de ARFF

A aerogare está praticamente concluída, mas faltam agora os seu equipamentos, cuja a aquisição está atrasada, para entrar em funcionamento. Como já disse num post de Fevereiro, é de lamentar mais este atraso nas obras, como é que os equipamentos de uma obra que já vai atrasada ainda não chegaram? Como é que se espera cumprir prazos desta forma?

Ficam aqui umas fotos do estado actual da aerogare, bem como das viaturas de combate a incêndios, para satisfazer um pedido do tomahawk.



Esta é a antiga, que segundo consta vai ser recuperada e mantida no serviço, mas não tenho confirmação.

13 abril 2006

Spotting em Ponta Delgada

Na última segunda feira estive em S. Miguel e passei a manhã no aeroporto com colegas do AzoresSpotteres a "spotar" aviões. Já era para ter feito este post há mais tempo mas o computador cá de casa não tem sido muito cooperante.

Os momentos altos do dia foram o dash 8 da Air New Zeland em demonstração para a SATA, um C-130 da força aérea Francesa, e, por incrível que pareça, um ATP que fez a aterragem mais espectacular do dia!

Estas duas fotos do dash são da autoria do João Resendes, só não coloco aqui as que eu tirei porque tive um erro na leitura do cartão de memória e não consegui recuperar todas as fotos que lá tinha. As seguintes já são minhas. Este cessna caravan acabou de descolar há coisa de uma hora da Horta com destino a St John's no Canadá!